ArchStoyanie, o maior festival de “land art” da Rússia

Instalações acústicas de todos os tipos, uma incrível performance nua do artista russo Fiódor Andreevitch Pavlov e poesia moderna, tudo isso esteve presente na ArchStoyanie – um festival de arquitetura e arte com duração de três dias que acontece em Nikola-Lenivets, a quatro horas de Moscou.

Realizado pelo oitavo ano consecutivo, o festival de verão ArchStoyanie atrai tanto fãs de arte contemporânea, quanto pessoas que simplesmente querem viajar e fazer um programa ao ar livre.

O nome do festival é traduzido como “Permanência Arcaica”, em referência ao evento histórico ocorrido no local há mais de cinco séculos: A Grande Permanência no Rio Ugra.

Este foi um confronto sem derramamento de sangue entre Akhmat, o Khan da Horda de Ouro, e o Grão-duque Ivan III da Rússia. Os dois líderes estavam em lados opostos do Rio Ugra, um afluente do Rio Oka, que marcava a fronteira do Ducado de Moscou. No outono de 1480, esse evento marcou o fim do domínio da Horda de Ouro dos tártatos.

Desde 2000, o vilarejo de Nikola-Lenivets tornou-se referência em arte moderna graças ao trabalho de Nikolai Polisski. Junto aos camponeses, moradores de localidades próximas, ele criou um conjunto de obras pelo vilarejo.

Eram exércitos de bonecos que consistiam em torres feitas de feno, lenha e varas. Especialistas, jornalistas e espectadores começaram a chegar para ver as obras. Polisski organizou alguns eventos de arte quando entendeu que era o momento de levar as coisas mais a sério. Em 2005, ele tomou a decisão de criar o festival chamado “ArchStoyanie”.

Instalações de land art marcam a paisagem pitoresca nos arredores do vilarejo de Nikola-Lenivets, cujo nome pode ser traduzido como "Nikola Preguiçoso";. O vilarejo foi transformado em uma colônia de artistas ao longo da última década.

A maioria das instalações ao ar livre foram criadas por Nikolai Polisski, um artista que mudou-se para Nikola-Lenivets em 1989. A land art tradicional é uma forma de arte que utiliza materiais da natureza como feno, troncos, terra e argila.

De acordo com Polisski, um ex-membro do coletivo de arte soviética underground conhecido como Mitki, a land art não exige um espectador, em vez disso, é criada somente para a autoexpressão, sendo chamada de “arte pura”.

Polisski teme que o ArchStoyanie esteja se tornando excessivamente comercial, organizado e moderno. Mas ele é consciente de que hoje em dia a arte contemporânea na Rússia precisa de apoio oficial para se desenvolver. Por isso, ele faz parcerias com galeristas, empresários e políticos a fim de levantar o patrocínio necessário para transformar a região em uma capital da arte contemporânea.

A peça central de "Mente Universal" consistia em uma escultura com dois hemisférios de um cérebro mecânico em um pedestal com uma colunata de quarenta e duas colunas. Em sua maior instalação, Nikolai Polisski, adepto de materiais naturais, oferece uma nova concepção de escultura em madeira.

Apesar de o ArchStoyanie ser conhecido por exibir as últimas novidades da land art a cada ano, desta vez não houve novas instalações. A recém-nomeada curadora, Katerina Bochvar, decidiu concentrar-se em performances variadas.

Os organizadores do ArchStoyanie afirmaram que essas performances só estariam disponíveis para os visitantes do festival e não seriam repetidas em outro lugar.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies