Peterhof, o território das fontes nos arredores de São Petersburgo

Petergof ou Peterhof (em holandês/alemão significa "A Corte de Pedro" e se localiza a 47 km de São Petersburgo) é um município pertencente à região de Petrodvortsovi, na cidade de São Petersburgo, situada na costa sul do Golfo da Finlândia.

A cidade abriga um dos dois campi da Universidade Estatal de São Petersburgo e a Fábrica de Relógios Petrodvorets, uma das principais fabricantes de relógios da Rússia. Uma série de palácios e jardins, construídos sob as ordens de Pedro, o Grande, e por vezes chamados de "Versailles russo”, também estão situados lá. O complexo de palácios, assim como o centro da cidade, é reconhecido como Patrimônio Mundial da UNESCO.
Ao longo de 200 anos, o Peterhof serviu como residência de verão aos monarcas russos. Nos séculos 18 e 19, foi cenário de majestosas recepções, grandes festividades, concertos e bailes de máscaras.

O conjunto Peterhof inclui o Parque Superior e o Parque Inferior com suas 150 fontes jorrando poderosos jatos de água, que formam resplandecentes cascatas. O sistema de abastecimento de água do Peterhof é inigualável no que se refere ao seu tempo de funcionamento. O Grande Palácio fica em um terraço localizado 16 metros acima do Parque Inferior Peterhof e é a parte central do conjunto projetado por Rastrelli.

A riqueza do palácio apresenta aos visitantes os magníficos salões nobres e aposentos dos imperadores russos. Ao pé do palácio, é possível ver o espetáculo da Grande Cascata com jatos de fontes prateadas e numerosas esculturas douradas, incluindo a famosa Fonte de Sansão. A água que cai da cascata corre até o mar do Golfo da Finlândia.

O parque também possui um labirinto com atalhos, passarelas de ferro ornamentadas, assim como vários pequenos pavilhões e gazebos. Os pavilhões do parque têm dias de visitação e taxas de entrada diferentes dos do palácio, nos fins de semana todo o complexo fica aberto.

Monplaisir, um pequeno Ermitage vermelho e branco, localizado no exuberante parque, e o Palácio Marli (que abriga uma mesa de madeira entalhada feita pelo próprio Pedro) também valem à pena explorar, são mais intimistas do que o Grande Palácio.

Antes de descer ao parque, passe um tempo na varanda do palácio e aprecie de cima a vista da Grande Cascata e de toda a vegetação. Se estiver aberta, explore a gruta embaixo da fonte para conhecer as obras de engenharia do século 18, que ajudaram a bombear água das nascentes nas imediações das Colinas de Ropcha, fazendo com que a cascata de 64 jatos de água trabalhasse de forma sincronizada.

O palácio foi ocupado pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial e sofreu grandes danos; sua meticulosa restauração se tornou motivo de orgulho na região. Observe a Sala do Trono, com sua luz estonteante e com retratos dos Romanov, os aposentos vizinhos das damas de companhia e os pisos de madeira trabalhada.

Parada obrigatória em São Petersburgo, o Peterhof atrai visitantes com seu palácio no mar Báltico inspirado em Versailles. A visita é mais bem aproveitada de abril a outubro, quando a Grande Cascata está funcionando e o parque está florido. Ir ao palácio de verão de Pedro, o Grande, de balsa ou aerobarco aumenta o prazer da experiência, dando ao visitante uma noção das ambições marítimas de Pedro e do papel da região como fronteira ocidental da Rússia. O passeio de barco e o extenso parque fazem desse ótimo programa de verão para as crianças.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies