Até que o Estado nos separe: o divórcio das autoridades