As 10 estações recordistas do metrô de Moscou

A estação mais profunda do sistema metroviário da capital russa é atualmente a Park Pobedi (Parque da Vitória), inaugurada na linha Arbatsko-Pokrovskaia em 6 de maio de 2003. Fica a aproximadamente 85 metros da superfície, enquanto a maioria das estações raramente ultrapassam os 50 metros.

A estação mais profunda do sistema metroviário da capital russa é atualmente a Park Pobedi (Parque da Vitória), inaugurada na linha Arbatsko-Pokrovskaia em 6 de maio de 2003. Fica a aproximadamente 85 metros da superfície, enquanto a maioria das estações raramente ultrapassam os 50 metros.

Dmítri Berdasov
Além das obras de arte, o sistema metroviário da capital russa ostenta outros recordes de impressionar.
Já a estação menos profunda é a Petchatniki: apenas cinco metros de solo separam os passageiros da luz do sol.
Incluindo os corredores de acesso, Vorobiovi Gori (Pardais da Montanha), na linha Sokolniki, se estende por 284 metros, um recorde para o metro de Moscou. São necessários 4 minutos para andar de um lado ao outro da plataforma. Inaugurada em 1959, foi também a primeira estação de metrô do mundo a ser construída sobre uma ponte.
Tal como foi concebida pelos construtores, a estação Komsomolskaia, na linha Circular, deveria servir como porta de entrada para Moscou e maravilhar os visitantes com o poder da capital soviética. Para isso, recursos não foram poupados; a estação se tornou a apoteose do estilo do Império Stalinista e da megalomania.  Ate mesmo o diâmetro do túnel central, com 11,5 metros, excede o padrão em 2 metros. Devido a isso, a estação possui o teto mais alto do metro da capital, decorado com oito painéis de mosaico feitos com pastilhas de vidro e pedras preciosas.
A estação mais estreita do metrô de Moscou é a Volgogradski Prospect, na linha Tagansko-Krasnopresnenskaia. A largura da plataforma não segue o padrão, e há apenas 4 metros de distância entre as colunas.
A mais curva das estações, a Aleksandrovski Sad, na linha Filevskaia, possui um raio de curvatura de 750 metros. Cada vez que um trem parte, o supervisor de plantão inspeciona a traseira do veículo a partir do meio da plataforma, pois os vagões traseiros não são visíveis da cabine do condutor. O trem só pode partir quando a permissão é concedida.
As frequentes reviravoltas políticas do século 20, quando uma figura proeminente podia subitamente transformar-se em um inimigo do povo, levaram muitas estações a perderem seus nomes em favor de outros que estivessem em maior sintonia com a política vigente. A vitima mais frequente das mudanças da elite política foi a estação Okhotni Riad, na linha Sokolniki, renomeada nada menos do que quatro vezes.
O percurso mais longo do metrô de Moscou fica entre as estações Strogino e Krilatskoe. Os trens levam sete minutos para percorrer o trecho de 6,652 quilômetros entre as estações.
A “honra” de ser a estação mais movimentada pertence à Vikhino, no fim da linha Tagansko-Krasnopresnenskaia. Segundo dados oficiais, o trafego de passageiros supera 170 mil pessoas por dia. No horário de pico, a estação fica tão lotada que os passageiros que conseguem chegar a plataforma geralmente tem que esperar dois ou três trens para embarcar.
A estação Spartak, na linha Tagansko-Krasnopresnenskaia, detém o recorde negativo de construção mais demorada. Embora iniciada em 1975, sua inauguração aconteceu apenas em agosto de 2014.