Lavrov rebate críticas feitas por Obama em discurso oficial

Foto: Eduard Pessov/Ministério das Relações Exteriores da Rússia

Foto: Eduard Pessov/Ministério das Relações Exteriores da Rússia

O governo russo reagiu nesta quarta-feira (21) ao discurso feito por Barack Obama no dia anterior, alegando que o presidente americano mostrou que os Estados Unidos acreditam ser o “número um” e querem dominar o mundo.

Em discurso do Estado da União, nesta terça-feira (20), Obama declarou que os EUA defendem “o princípio de que nações maiores não podem intimidar as pequenas”, opondo-se ao que ele chamou de agressão russa e apoio à democracia na Ucrânia. A Rússia, segundo o líder americano, se isolou e sua economia está “em frangalhos”.

“Os americanos tomaram o rumo da confrontação e sequer avaliam criticamente os seus próprios passos”, declarou o ministro dos Negócios Estrangeiros russo Serguêi Lavrov, em entrevista coletiva.

“O discurso de ontem pelo presidente mostra que no centro da filosofia [dos EUA] está apenas uma coisa: ‘Nós somos o número um e todos têm que respeitar isso’. Isso mostraria então que os Estados Unidos querem igualmente dominar o mundo e não podem ser apenas o primeiro entre iguais.”

A fase atual nas relações da Rússia com o Ocidente irá passar, segundo Lavrov, acrescentando, contudo, que levará algum tempo. “Eu preferiria que todos os países adotassem a filosofia de cooperação, e não de imposição”, continuou o chanceler russo.

As relações entre a Rússia e os Estados Unidos chegaram ao seu nível mais baixo desde o fim da Guerra Fria, sobretudo por causa das diferenças entre Moscou e o Ocidente em torno da crise na Ucrânia.

 

Publicado originalmente pelo jornal The Moscow Times

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.