Em visita à Rússia, Maduro discutirá preço do petróleo e relações bilaterais

Visita de Maduro a Moscou sinalizaria “solidariedade” com o governo de Pútin Foto: AP

Visita de Maduro a Moscou sinalizaria “solidariedade” com o governo de Pútin Foto: AP

Presidente venezuelano se reunirá com Vladímir Pútin nesta quinta-feira (15). No ano passado, Nicolás Maduro declarou que Washington estaria conduzindo uma guerra do petróleo para destruir a Rússia e a Venezuela.

O presidente russo Vladímir Pútin irá se encontrar nesta quinta-feira (15) com o seu homólogo venezuelano, Nicolás Maduro. O foco da conversa entre os líderes será as relações bilaterais russo-venezuelanas, sobretudo em projetos nos setores energético, bancário e financeiro, segundo o porta-voz do Kremlin, Dmítri Peskov.

“Mas é claro que as negociações vão abordar a situação nos mercados mundiais de petróleo e outras questões da atualidade”, acrescentou Peskov.

Na semana passada, o líder venezuelano visitou vários países da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) e a China, onde conduziu uma série de discussões de alto nível para restaurar os preços globais do petróleo, que caíram para seu nível mais baixo em quase seis anos.

De acordo com um relatório produzido em 2012 pela Administração de Informação de Energia dos EUA (EIA, na sigla em inglês), as exportações de petróleo da Venezuela chegaram a 1,7 milhões de barris. A Arábia Saudita assume o primeiro lugar, com exportações estimadas em 8,8 milhões de barris por dia.

Depois de uma reunião em 27 de novembro, em Viena, a Opep decidiu manter a cota de produção diária de petróleo em 30 milhões de barris, o que empurrou os preços do petróleo para baixo.

Cabe lembrar que Argélia, Venezuela e Irã têm interesses conflitantes com a Arábia Saudita. Em meio à revolução de xisto nos EUA, a Arábia Saudita não está disposta a desistir de sua parcela do mercado nem planeja cortar a produção de petróleo.

“Guerra de petróleo”

No caminho para a China, em 5 de janeiro, o avião do líder venezuelano fez uma parada técnica no aeroporto Vnukovo, em Moscou. Na ocasião, Maduro se reuniu brevemente com o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguêi Riabkov.

A ministra das Comunicações venezuelana, Jacqueline Faria, escreveu em sua conta no Twitter que a visita de Maduro a Moscou sinaliza “solidariedade” com o governo do presidente Pútin, “diante de ações desestabilizadoras promovidas pelos EUA”.

Em dezembro passado, Maduro disse que Washington estaria conduzindo uma guerra do petróleo para destruir a Rússia e a Venezuela. “Uma verdadeira guerra de petróleo está em andamento”, disse. "Seu objetivo é destruir a Rússia, para levar o país a um colapso como potência global”, continuou Maduro, acrescentando que a atual queda dos preços do petróleo também afeta a Venezuela.

 

Publicado originalmente pela agência de notícias Tass


Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.