O que marcou a relação entre Rússia e América Latina em 2014

No Brasil, Pútin se encontrou com Dilma Rousseff Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

No Brasil, Pútin se encontrou com Dilma Rousseff Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Em 2014, apesar dos conflitos e da tensão política e econômica, a Rússia conseguiu desenvolver e melhorar as relações com os países da América Latina.

A Gazeta Russa publica uma lista dos eventos mais importantes do ano nas relações entre a Rússia e a América Latina.

Turnê de Vladímir Pútin pela América Latina

No início de julho, o presidente russo realizou uma série de visitas oficiais aos países da América Latina. Vladímir Pútin visitou Cuba, Nicarágua, Argentina e Brasil, onde participou da cúpula do grupo Brics. Foi a viagem mais longa do terceiro mandato de Pútin, que várias vezes enfatizou a importância das relações com os países da região.

Em Cuba, o presidente russo se reuniu com Raul e Fidel Castro. Pútin visitou a Nicarágua pela primeira vez depois do estabelecimento das relações diplomáticas entre os dois países e assinou o acordo de participação da Rússia na construção do canal da Nicarágua.

Na Argentina, Pútin se encontrou com Cristina Kirchner e sublinhou a importância estratégica do país para a Rússia. Ele também realizou uma reunião com o presidente uruguaio, José Mujica, e no Brasil se encontrou com Dilma Rousseff. Mais tarde, no âmbito da cúpula do Brics, o presidente russo se reuniu com seus homólogos de Venezuela, Bolívia, Uruguai, Peru, Chile e Colômbia.

Visita de Ollanta Humala à Rússia

Em novembro, o presidente do Peru, Ollanta Humala, realizou uma visita oficial à Rússia e se encontrou com o líder do país. Foi a primeira visita do tipo de um presidente peruano em toda a história das relações bilaterais entre os dois Estados. Durante o encontro, Pútin e Humala concordaram em utilizar o sistema de navegação GLONASS na República do Peru e em estabelecer o fornecimento de frutas para a Rússia.

Países latino-americanos rejeitam sanções e aumentam o comércio bilateral

Após a imposição de sanções econômicas contra a Rússia, os países da América Latina mostraram apoio à Rússia. Mais tarde, a Rússia desenvolveu um conjunto de restrições em resposta, limitando as importações de alimentos dos Estados Unidos e da União Europeia. Além de ajudar os produtores nacionais, a decisão intensificou as relações comerciais com os países da América Latina, especialmente na exportação de alimentos. A Rússia começou a importar mais carne do Brasil, da Argentina e do Uruguai, peixe do Chile e frutas do Equador.

Isenção de vistos para russos que vão à Costa Rica

Desde abril, os turistas russos não precisam ir ao consulado da Costa Rica para receber vistos. Agora, os russos podem ficar no país sem visto durante 30 dias, com a possibilidade de prolongar sua estadia até 90 dias. A Costa Rica se tornou o 24º país da região da América Latina e o Caribe aberta aos turistas russos.

Acordo espacial russo-cubano

Em outubro deste ano, a câmara baixa do parlamento russo ratificou e o presidente russo assinou o acordo de cooperação espacial entre Rússia e Cuba. O acordo foi preparado em 2013, durante a visita do primeiro-ministro russo, Dmítri Medvedev, a Havana. O acordo prevê produção conjunta de naves espaciais e fornecimento do sistema de navegação russa GLONASS a Cuba.

Acordo russo-peruano

Após o lançamento do satélite peruano do Cosmódromo Baikonur, em fevereiro de 2014, Moscou e Lima concordaram em criar um Centro de Tecnologias Ópticas. Esse centro ajudará a preparar cientistas e especialistas peruanos. O projeto faz parte do plano de desenvolvimento das relações biliterais assinado em 2013.

Venezuela e Rússia assinam acordo petrolífero

O ministro das Relações Exteriores venezuelano visitou Moscou para resolver o problema da crise petrolífera. O chanceler conseguiu fechar um acordo entre a maior petrolífera russa, a Rosneft, e a venezuelana PDVSA sobre a compra de 1,6 milhões de toneladas de petróleo e 9 milhões de toneladas de derivados.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.