Frota de ‘Almirantes’ protegerá interesses nacionais em regiões oceânicas

Novas fragatas são os primeiros grandes navios de guerra de superfície para operações oceânicas projetados e construídos totalmente na Rússia pós-soviética Foto: Ria Nóvosti

Novas fragatas são os primeiros grandes navios de guerra de superfície para operações oceânicas projetados e construídos totalmente na Rússia pós-soviética Foto: Ria Nóvosti

Novas fragatas do Projeto 22350 formarão o principal núcleo de combate nos diversos oceanos.

Aprovada no final de 2014 pelo presidente russo Vladímir Pútin, a nova Doutrina Militar da Rússia atribui novas missões às Forças Armadas do país. Entre elas, estão a proteção dos interesses nacionais da Rússia no Ártico, a luta contra pirataria e a garantia da segurança de navegação. No entanto, desempenhar tais tarefas só é possível com navios de longo alcance: é justamente nesse ponto que entram as fragatas de última geração do Projeto 22350.

O primeiro exemplar do projeto, o “Almirante Gorshkov”, foi lançado no ano passado e está atualmente passando por testes no mar. A sua incorporação às Forças Armadas está prevista para ainda este ano.

As fragatas do Projeto 22350 possuem estrutura modular e superestrutura blindada, cuja construção faz uso extensivo de materiais compósitos para reduzir peso e visibilidade contra radares inimigos. O casco apresenta linhas hidrodinâmicas afiladas com objetivo de fornecer alta navegabilidade. Durante os recentes testes de mar, a fragata superou a velocidade estimada, alcançando 29 nós.

A propulsão do navio é CODAG – turbina a gás combinada com motor diesel. As turbinas são acionadas em caso de necessidade de deslocamentos rápidos, enquanto os motores a diesel fornecem propulsão econômica com autonomia de até 4.000 milhas.      

O armamento principal das fragatas Projeto 22350 é composto por Casulos Universais de Disparo Vertical (UKSK) capazes de serem carregados com 16 mísseis antinavio supersôniccos Onyx e foguetes antissubmarino Caliber-NK.

Especificações técnicas


Deslocamento: 4.500 toneladas

Comprimento: 135 m

Largura: 16 m

Calado: 4,5 m

Autonomia de combustível e provisões: 30 dias

Tripulação: 186 militares

As fragatas desse tipo são os primeiros grandes navios de guerra de superfície para operações oceânicas projetados e construídos totalmente na Rússia pós-soviética. Além delas, estão em processo de construção as fragatas Projeto 11356, as corvetas das classes Projeto 20380/20385 e os futuros destroieres da classe Lider, que formarão a espinha dorsal das forças navais multifunção da Marinha russa.

Em dezembro passado, foi lançada também a segunda fragata da classe Projeto 22350 e primeira de produção em série “Almirante Kasatonov”. De acordo com o comandante da Marinha russa, o almirante Víktor Chirkov, o novo navio “irá garantir a consecução das tarefas de defesa dos interesses nacionais da Rússia em qualquer parte dos oceanos mundiais”.

Para exportação

O estaleiro Severnaya Verfl  é por enquanto o único construtor das fragatas Projeto 22350 e está com mais duas encomendas na carteira – “Almirante Golovko” e “Almirante Isakov da União Soviética” –, que deverão ser entregues à Marinha em 2020. Na sequência, o estaleiro começará a trabalhar no Projeto 22350M, que vai incorporar melhorias da presente classe.

O estaleiro russo United Shipbuilding Corporation, juntamente com a Marinha da Rússia, está considerando a exportação de navios da classe Projeto 22356. A versão estrangeira, denominada Projeto 22356, foi apresentada pela primeira vez Feira Internacional Euronaval 2010. As características entre as duas classes são semelhantes, mas o armamento e os equipamentos podem variar de acordo com o cliente.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.