‘É importante que fato não venha fortalecer a islamofobia’

Flores deixadas em frente à Embaixada da França em Moscou Foto: Flora Moussa/RBTH

Flores deixadas em frente à Embaixada da França em Moscou Foto: Flora Moussa/RBTH

Nota do Conselho para Direitos Humanos na Rússia se refere a incidente como ataque à liberdade de expressão

O chefe do Conselho Presidencial da Rússia para os Direitos Humanos (CDH), Mikhail Fedôtov, definiu o ataque terrorista contra a redação da revista satírica “Charlie Hebdo”, em Paris, como uma tentativa armada de proibir a liberdade de expressão.

“O assassinato impiedoso dos jornalistas franceses foi uma tentativa de proibir a liberdade de expressão à bala. Um ato deste tipo não tem nem pode ter justificativa: qualquer discussão sobre as regras da ética jornalística pode ser conduzida apenas com jornalistas vivos, não mortos. E, evidentemente, nunca com defensores ideológicos do terrorismo”, disse Fedôtov, em uma nota publicada no site do CDH.

O chefe do conselho também se mostrou confiante de que os terroristas responsáveis pela morte dos caricaturistas franceses serão em breve levados à justiça e reforçou que o recente ato não deve se tornar pretexto para promover uma caça às bruxas entre os muçulmanos que vivem na Europa. “É importante que isso não venha fortalecer a islamofobia. Caso contrário, podemos dizer que o objetivo dos terroristas foi alcançado.”

No final do documento, o Conselho Presidencial da Federação Russa para as Instituições da Sociedade Civil e Direitos Humanos expressa as suas condolências às famílias e amigos das pessoas mortas no ataque terrorista de Paris.


Publicado originalmente pelo Newsru.com

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.