Russia Today inicia transmissão na TV aberta da Argentina

Kirchner: "Vamos trocar informações entre os dois países sem a interferência dos grandes meios de comunicação internacionais" Foto: Aleksêi Nikólski/ RIA Nóvosti

Kirchner: "Vamos trocar informações entre os dois países sem a interferência dos grandes meios de comunicação internacionais" Foto: Aleksêi Nikólski/ RIA Nóvosti

Programação de estreia contou com teleconferência entre Vladímir Pútin e Cristina Kirchner. Presidente russo reforçou objetivo de levar informação sem intermediários e intensificar parceria com país sul-americano.

Os chefes de Estado da Rússia, Vladímir Pútin, e da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, abriram a transmissão do canal Russia Today no país sul-americano na última quinta-feira. “Está uma ótima imagem, eu estou ouvindo-a perfeitamente”, disse Pútin, logo no início da teleconferência com a presidente argentina. Na Rússia já era noite, mas na América Latina, o dia havia começado havia poucas horas.

O Russia Today em espanhol passou a cobrir praticamente toda a Argentina, com a intenção de “permitir que a população local descubra mais sobre a Rússia, o que é muito importante nas condições das impiedosas guerras da informação”, declarou o líder russo, acrescentando que, apesar da distância, “os países estão politicamente próximos e, agora, vão se entender ainda melhor”.

“Nós vamos transmitir o canal russo para trocar informações entre os dois países sem a interferência dos grandes meios de comunicação internacionais, que, normalmente, transmitem as notícias entre aspas, em prol de seus próprios interesses”, acrescentou Kirchner.

A imagem foi vista em muitos países, uma vez que a RT em espanhol já é transmitida na Europa e em outras localidades da América Latina desde 2009. A novidade, porém, que se trata da primeira vez em que o canal foi incluído em uma rede de televisão estatal aberta que antes transmitia apenas canais nacionais.

“No país de vocês surge agora uma fonte de informação de sólida reputação, e acima de tudo fiável, sobre o que acontece na Rússia e no mundo”, continuou Pútin. “O direito à informação é um dos direitos humanos mais importantes e inalienáveis. Com o rápido desenvolvimento da mídia eletrônica, essa esfera assume grande importância e torna-se uma arma terrível que permite, quando se deseja, manipular a consciência pública.”

Segundo o presidente, o canal RT é uma fonte que não usa métodos agressivos para impor o seu ponto de vista aos outros e que está sempre aberta à discussão, oferecendo ao seu público uma ampla gama de opiniões sobre política, sociedade, história e cultura.

Além da tela

A transmissão do canal Russia Today em terras portenhas foi acordada entre os dois presidentes durante a visita de Pútin à Argentina em julho passado. Na época, os líderes de ambos os países falaram da semelhança de posições quanto a questões internacionais, como a importância de um mundo multipolar e rejeição à política de padrões duplos.

 “Estamos unidos não apenas por 130 anos de relações diplomáticas, mas pela confluência de muitos interesses”, disse Pútin na quinta-feira passada. “Seja na Rússia ou no resto do mundo, todos podem ver como vocês lutam pelos interesses de seu próprio país. É um exemplo para muitos.”

Recentemente, a Argentina também demonstrou apoio à reanexação da Crimeia à Rússia, enquanto Moscou se manifestou a favor de negociações entre Buenos Aires e Londres em torno da disputa das ilhas Malvinas. Mas a cooperação não para por aí.

Em troca dos fertilizantes agrícolas exportados pela Rússia, a Argentina vêm carne para preencher o nicho de mercado que ficou vazio com a saída dos europeus.

 

Publicado originalmente pelo Vesti.ru

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.