Venezuela quer comprar mais armas da Rússia

A ministra venezuelana de Comunicação e Informação, Delcy Rodríguez, declarou que a Rússia abriu uma nova linha de crédito para a Venezuela Foto: Getty Images / Fotobank

A ministra venezuelana de Comunicação e Informação, Delcy Rodríguez, declarou que a Rússia abriu uma nova linha de crédito para a Venezuela Foto: Getty Images / Fotobank

O presidente do país, Nicolás Maduro, anunciou intenção de fortalecer Força Armada Nacional Bolivariana com armamento do país.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, declarou recentemente que a Venezuela tem a intenção de comprar mais armas russas e chinesas para fortalecer a Força Armada Nacional Bolivariana (Fanb).

"Conversei com o presidente Vladímir Pútin e com o presidente Xi Jinping. Concordamos que mandaremos comissões de trabalho para conhecer os equipamentos mais avançados e fortalecer o nosso país", declarou Maduro.

 

A ministra venezuelana de Comunicação e Informação, Delcy Rodríguez, confirmou a notícia através de sua conta no Twitter: "Nicolás Maduro anunciou o apoio da Rússia e da China para fortalecer a Fanb."

 

Em julho, Rodríguez também declarou que a Rússia abriu uma nova linha de crédito para a Venezuela.

Projetos energéticos e militares

A cooperação comercial entre a Rússia e a Venezuela continua alta. Em maio, a empresa petrolífera russa Rosneft assinou um contrato com a empresa estatal venezuelana Petróleos de Venezuela (Pdvsa) para a compra de 1,6 milhões de toneladas de petróleo por US$ 2 bilhões. Além disso, a empresa venezuelana gastará US$ 7,5 bilhões em petróleo durante os próximos cinco anos. A Rosneft e a Pdvsa têm cinco projetos conjuntos de extração de petróleo na Venezuela.

Em 31 de março, a Rússia declarou que pretende aumentar as vendas de armas na América Latina. Segundo o diretor do Serviço Federal Russo para Cooperação Técnico-Militar, Aleksadr Fomin, o país planeja aumentar as vendas principalmente para Uruguai, Argentina, Brasil, Colômbia e Venezuela.

“A demanda pelos equipamentos russos, inclusive helicópteros de transporte, de combate e de múltiplas funções nos países da América Latina vai crescer”, diz Fomin.

O diretor de comunicações da empresa Rostec, responsável pela produção de armamento, Vassíli Brovko, declarou que a empresa já assinou vários contratos com a Venezuela, cujo preço total é de US$ 12 bilhões.

“São aviões, helicópteros, sistemas de defesa antiaérea, carros Lada, caminhões Kamaz, entre outros”, disse.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.