Conselho de Direitos Humanos se dispõe a mediar negociações na Ucrânia

Conselho pediu permissão para realizar missões humanitárias em regiões tomadas pela violência Foto: Reuters

Conselho pediu permissão para realizar missões humanitárias em regiões tomadas pela violência Foto: Reuters

O Conselho Presidencial Russo para Sociedade Civil e Direitos Humanos aprovou uma declaração na qual diz que o órgão do Estado está pronto para ser um parceiro da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) e organizar as negociações entre as partes em conflito na Ucrânia.

“O Conselho apela para estruturas intergovernamentais, principalmente da OSCE e da ONU, a tomar todas providências para organizar as negociações entre as partes em conflito no país”, diz o comunicado publicado no site do conselho nesta segunda-feira (5). “Estamos preparados para ser um parceiro da missão de observadores da OSCE nesse processo, que é vital para a Ucrânia, para a Rússia e para a Europa em geral.”

O conselho presidencial também pediu para que o Parlamento da Ucrânia “pare de usar as forças armadas, equipamento militar pesado e de aviação em Donetsk e outras regiões, e passe a realizar negociações pacíficas com partidários da federalização”. Paralelamente, o organismo exortou a oposição armada a “abster-se do uso de armas e negociar com os mediadores da OSCE”.

A declaração contém ainda outro apelo ao Parlamento ucraniano “para a condução de uma investigação ampla e aberta da tragédia em Odessa, envolvendo observadores da OSCE e da ONU, bem como organizações humanitárias e de direitos humanos” e uma proposta para as agências ucranianas de aplicação da lei para permitirem missões humanitárias, inclusive estrangeiras, em regiões tomadas pela violência.

 

Publicado originalmente pela agência Itar-Tass

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.