Rússia e Nicarágua querem ampliar cooperação

De acordo com o presidente da delegação russa, o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros, Serguêi Riabkov, os dois países estão estudando as perspectivas do desenvolvimento das relações bilaterais Foto: ITAR-TASS

De acordo com o presidente da delegação russa, o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros, Serguêi Riabkov, os dois países estão estudando as perspectivas do desenvolvimento das relações bilaterais Foto: ITAR-TASS

Países estão estudando as perspectivas do desenvolvimento das relações bilaterais e definiram uma série de medidas conjuntas para a realização de acordos em áreas de comércio e de promoção de investimentos.

Na semana passada, o assessor do presidente da Nicarágua, Ortega Laureano, o conselheiro presidencial em questões econômicas, Pablo Monroy, e o ministro de Transportes, Orlando Castillo, estiveram em Moscou para participar de assembleia da comissão Rússia-Nicarágua para a Cooperação Comercial, Econômica e Técnico-Científica.

De acordo com o presidente da delegação russa, o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros, Serguêi Riabkov, os dois países estão estudando as perspectivas do desenvolvimento das relações bilaterais e definiram uma série de medidas conjuntas para a realização de acordos em áreas de comércio e de promoção de investimentos.

“Agora, o nível da cooperação econômica e comercial está longe do seu potencial”, disse Liudmila Símonova, diretora do Centro de Pesquisas Estratégicas do Instituto da América Latina da Academia de Ciências da Rússia. “O volume de comércio bilateral é de US$ 60 milhões, principalmente de alimentos, matérias-primas e produtos agrícolas. Alguns produtos nicaraguenses, como café, rum ou tabaco, têm que competir com produtos dos outros países da América Latina no mercado russo”, diz Símonova.

Apesar do volume modesto de cooperação comercial e econômica entre a Rússia e a Nicarágua, existem muitos métodos para aumentá-la no futuro.

Nono canal

No final de março, uma delegação da Duma (câmara baixa do parlamento russo) visitou Manágua e mostrou interesse em participar do projeto de construção de um canal interoceânico no país. O novo canal deverá unir o Pacífico e o Atlântico e se tornar uma alternativa ao Canal do Panamá. A construção começará em dezembro de 2014. De acordo com o assessor do presidente da Nicarágua, Ortega Laureano, o país já realizou várias consultas sobre a participação da Rússia no projeto.

A Rússia também planeja participar da construção de uma fábrica de medicamentos imunológicos na Nicarágua. A capacidade desse projeto ultrapassará 100 milhões de doses de vacinas de vírus do sarampo, rubéola, contra a difteria, tétano, entre outras.

"A criação dessa fábrica de vacinas poderia contribuir para a promoção da produção de medicamentos imunológicos russos no mercado da América Central e do Sul, bem como para o desenvolvimento de outros projetos estratégicos da região", diz o vice-diretor-geral de desenvolvimento estratégico da empresa russa Microgen, Dmítri Sedikh.

Se os países conseguirem resolver todos os problemas de financiamento do projeto e da entrega das tecnologias russas, a fábrica da Nicarágua começará a produzir medicamentos em 2017.

Parceria

Entre a Rússia e a Nicarágua existem acordos sobre o desenvolvimento de programas conjuntos em agricultura, no setor energético e no uso do espaço para fins pacíficos. Os usuários da internet na Nicarágua também poderão usar os serviços do sistema global de navegação pelo satélite russo Glonass.

Além disso, a Rússia vende equipamentos militares para a Nicarágua e participa da formação de militares no centro de treinamento Marechal Geôrgui Jukov.

De acordo com o embaixador da Rússia na Nicarágua, Nikolai Vladímir, durante os últimos três anos, Manágua gastou mais de US$ 26 milhões em diferentes tipos de tecnologias de proteção civil russa, inclusive 48 caminhões de bombeiros, tecnologias de construção de estradas, seis hospitais de campanha, vários equipamentos para a eliminação de obstáculos e um sistema de prevenção de tsunamis.

O parlamento da Nicarágua ratificou uma resolução do governo que permite que as subdivisões militares, navios e aviões russos visitem a república durante o primeiro semestre de 2014 para realizar intercâmbio de experiências e treinamento de soldados. O parlamento também aprovou a participação de militares russos na patrulha das águas territoriais no Mar do Caribe e do Oceano Pacífico de 1º de janeiro a 30 de junho de 2015. O principal objetivo dessas operações é a luta contra o tráfico de drogas.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.