Universidades alteram sistema de aprovação para estrangeiros

Foto: Aleksêi Filippov/RIA Nóvosti

Foto: Aleksêi Filippov/RIA Nóvosti

O Ministério da Educação e Ciência irá aprovar até ao final do ano a lista de novas exigências para com os estrangeiros que querem se candidatar a um curso superior na Rússia. Antes de entrarem no processo de seleção, vestibulandos de outros países terão que estudar língua russa por um ano, além de matemática e disciplinas básicas relacionadas ao curso escolhido.

Antes mesmo de entrar no processo em qualquer universidade russa, os vestibulandos estrangeiros deverão escolher um dos cinco temas gerais: humanas, ciências, medicina-biologia, engenharia e economia. Cada um incluirá três disciplinas obrigatórias e uma especialidade.

Além disso, os estrangeiros terão que cursar disciplinas gerais, como língua russa, matemática e informática. Somente após finalizar o curso preparatório é que os futuros estudantes farão as provas nas disciplinas obrigatórias e opcionais.

“Os sistemas de ensino se diferenciam de um país para outro e, por isso, precisamos de estabelecer uma equivalência”, ressalta Gulnara Krassnova, vice-reitora responsável pelas relações internacionais da Universidade Russa da Amizade dos Povos. “Cada estabelecimento de ensino superior determinará seus critérios de avaliação. Com alguns dos países temos acordos bilaterais, por isso não será preciso tratar de equivalência dos cursos superiores.”

Hoje em dia, cerca de 250 mil estudantes oriundos de 150 países se formam anualmente na Rússia, sobretudo de países da Comunidade dos Estados Independentes e América Latina. Esse número corresponde a 2,3% do total de universitários no país, porém, o ministério planeja aumentá-lo até 6% em 2015, e até 10% em 2018.

“Essa iniciativa não só vai melhorar a qualidade de ensino, mas também elevar o prestígio da educação russa”, afirma Serguêi Markov, vice-reitor da Universidade de Economia “Plekhanov” e membro da Câmara Cívica. Segundo recomendações do órgão, o prazo de formação preparatória dos vestibulandos estrangeiros nos estabelecimentos russos de ensino superior deve ser de um ano.

Na ponta da língua

O estudo preparatório de língua russa deverá incluir léxico, fonética, sintaxe e pontuação. Além disso, os estudantes terão que dominar um vocabulário mínimo de 2.300 palavras, entender a língua falada com velocidade de 200 a 240 palavras por minuto e ler com a de 80 a 100 palavras por minuto. Para completar, o vestibulando deverá ser capaz de redigir um resumo relacionado com sua especialidade.

“Atualmente, não temos exigências definidas quanto ao conhecimento de língua russa, queremos apenas o nível elementar”, explica Viktor Grichin, reitor da Universidade de Economia “Plekhanov”.

Ainda na área de humanas, o candidato a um curso superior terá que ter noção sobre literatura russa dos séculos 18 e 19, bem como conhecer biografias de clássicos russos como Púchkin, Dostoiévski, Tolstói e Tchekhov, entre outros. 

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.