“Moscou está pronta para mediar relações na Ucrânia”, diz Lavrov

Lavrov confirmou que a Rússia participará da conferência internacional de paz Genebra-2 Foto: Reuters

Lavrov confirmou que a Rússia participará da conferência internacional de paz Genebra-2 Foto: Reuters

Na terça-feira passada (21), o chanceler russo Serguêi Lavrov participou de uma grande coletiva de imprensa dedicada aos fatos mais marcantes de 2013. A Gazeta Russa apresenta abaixo uma seleção dos principais pontos do discurso.

Crise síria

Lavrov confirmou que a Rússia participará da conferência internacional de paz Genebra-2 e continuará estimulando o diálogo entre os líderes sírios e a oposição.

O ministro tem certeza de que as negociações entre os sírios são do interesse de todos. “A Coalizão Nacional  é apenas uma parte da oposição. Além dela, há outros personagens da oposição que trabalham internamente no país”, disse.

EUA X Rússia

“A cooperação produtiva entre a Rússia e os EUA em assuntos políticos confirmou a o potencial significativo das nossas relações bilaterais”, declarou Lavrov. “Estamos abertos para aumentar a cooperação, baseando-nos nos interesses bilaterais, na igualdade e na não interferência em assuntos internos.”

O ministro acrescentou que ainda restam algumas desarmonias na parceira Rússia-EUA, incluindo o desenvolvimento de defesa antimíssil e a aplicação extraterritorial de leis norte-americanas em relação a cidadãos e empresas russas.

Programa nuclear iraniano

De acordo com o chanceler, não há garantias de sucesso na resolução do problema nuclear iraniano, mas a Rússia e seus parceiros continuarão a buscar medidas para assegurar a segurança na região, inclusive de Israel.

“Junto com os parceiros do grupo 5 +1 e os colegas iranianos, continuaremos a procurar uma solução conclusiva que garanta tanto os direitos do Irã de desenvolver um programa nuclear pacífico sob o controle da Agência Internacional de Energia Atômica e a segurança de todos os países da região”, disse Lavrov.

Ucrânia em standby

“Moscou está pronta para atuar como intermediária entre as partes opositoras na Ucrânia, mas somente se houver pedido de mediação”, afirmou o ministro. “Por enquanto não houve esse pedido.”

Lavrov reiterou que os problemas internos de qualquer país, inclusive da Ucrânia, devem ser resolvidos por meio de diálogo de caráter constitucional e legal, sem interferência externa.

Rumos da Coreia do Norte

O ministro considera possível retomar as negociações sobre a Coreia do Norte.

“No âmbito do grupo de 6 países, quando as negociações eram bastante ativas, foram criados vários grupos de trabalho”, contou. Lavrov não excluiu a possibilidade de agora ser “o momento para convocar o grupo, iniciar a discussão e aumentar a confiança”.

Ele acrescentou que, para a Rússia, o “surgimento de novas potências nucleares militares é inaceitável”.

Relações com o Japão

A primeira etapa de consultas sobre o tratado de paz entre a Rússia e o Japão será realizada em Tóquio dentro de algumas semanas. “Nessa primeira etapa das consultas analisaremos os aspectos históricos da questão”, disse.

O ministro mencionou que o reconhecimento dos resultados na Segunda Guerra Mundial fixados na Carta das Nações Unidas é o primeiro passo para avançar as relações. “Vamos percorrer esse caminho com paciência e cautela”, acrescentou.

Isenção de vistos na América Latina

Lavrov acredita que num futuro próximo todo o território da Comunidade de Estados da América Latina e do Caribe (CELAC) poderá se tornar uma área de livre circulação para os russos. Como exemplo, o chanceler mencionou o fato de a Rússia ter recentemente ratificado o acordo sobre isenção de vistos com o Paraguai – o décimo primeiro país latino-americano com o qual existe tal reciprocidade.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.