Turismo brasileiro foi tema de evento em São Petersburgo

"Até 2022, o Brasil vai se tornar a terceira maior economia mundial na área do turismo” Foto: AP

"Até 2022, o Brasil vai se tornar a terceira maior economia mundial na área do turismo” Foto: AP

Gazeta Russa visitou o seminário "Oportunidades de Investimento no Setor Turístico do Brasil", realizado em São Petersburgo, para acompanhar as tendências atuais de desenvolvimento do mercado brasileiro.

Nesta segunda-feira (20), a cidade de São Petersburgo sediou o primeiro seminário “Oportunidades de Investimento no Setor Turístico Brasileiro”, organizado pelo Ministério do Turismo do Brasil em conjunto com a Embaixada do Brasil em Moscou.

“O fórum possibilita uma cooperação mais estreita e oferece oportunidade para discutir problemas existentes no setor do turismo e apresentar projetos de investimento”, disse Cícero Freitas, representante do Ministério do Turismo brasileiro presente no evento.

O encontro dividido em quatro partes abordou temas como o futuro da cooperação entre a Rússia e o Brasil a curto prazo, situação do setor turístico no Brasil e descrição detalhada do negócio hoteleiro no Brasil, além de apresentar exemplos concretos de financiamento no setor.

Segundo Freitas, um novo nível de relação entre os dois países foi alcançado com a assinatura de um acordo de parceria em 2002. “Outro impulso nas relações bilaterais foi dado no âmbito do grupo de países emergentes do Brics [Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul]”, acrescentou, lembrando que a próxima reunião do bloco está prevista para junho, em Fortaleza e São Paulo.

A apresentação do diretor do Departamento de Financiamento e Promoção de Investimentos do ministério brasileiro, Jean Marcel Fernandes, focou justamente na parte econômica do desenvolvimento do setor. Ao falar sobre a relação entre turismo e economia, Fernandes ressaltou o investimento em infraestruturas, indústria e na integração da população local, com a criação de novos postos de trabalho.

“O investimento no Brasil é favorecido pelo grande estoque de reservas internacionais, redução dos spreads bancários, classificações de confiança nas principais agências de rating do mundo, bem como atracão de investimento privado para o setor do turismo por meio de leis específicas”, destacou Fernandes. Os empresários de hotelaria, por exemplo, desfrutam de descontos no setor de eletricidade.

Lucrando com esporte

Antes de finalizar o discurso, Fernandes fez algumas previsões para os próximos eventos esportivos no Brasil. “A Copa deste ano será visitada por 600 mil pessoas, e 400 mil turistas estrangeiros são esperados no Rio de Janeiro em 2016. Até 2022, o Brasil vai se tornar a terceira maior economia mundial na área do turismo”, afirmou.

Às vésperas da Copa do Mundo, o número de hotéis novos construídos no país corresponde a 41% dos atuais empreendimentos de classe econômica e 39% de classe intermediária. Até 2016, o país receberá o investimento de mais de 12 bilhões de reais em 422 novos estabelecimentos.

“Reconhecemos a importância da Copa e dos Jogos Olímpicos em 2016, e é por isso que a maioria dos novos hotéis estão sendo inaugurados nas áreas e bairros de realização desses dois grandes eventos, bem como em locais tradicionais de descanso dos turistas, o sudeste e nordeste do Brasil”, disse Rodrigo Marques, coordenador-geral do departamento de Promoção ao Investimento no Turismo. “O desenvolvimento do setor hoteleiro é um indicador de maturidade do mercado existente”, concluiu. 

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.