Pais pedem censura de “mulher barbada” na TV

Artista de 25 anos começou a se vestir como mulher em 2011 Foto: Lori / Legion Media

Artista de 25 anos começou a se vestir como mulher em 2011 Foto: Lori / Legion Media

Travesti que ostenta barba expressiva irá representar a Áustria no concurso de música Eurovision 2014, em Copenhague. Associação de Tver, na porção europeia da Rússia, alega que cantora “promove um estilo de vida inaceitável para a sociedade”.

A organização pública “Assembleia de Pais da Rússia, entrou com um pedido junto ao Ministério das Comunicações e Telecomunicações para proibir a transmissão do concurso Eurovision 2014 na Rússia, porque a futura concorrente austríaca Conchita Wurst “promove um estilo de vida inaceitável para a sociedade russa”.

Wurst, cujo nome original é Thomas Neuwirth, combina os vestidos e saltos altos com uma ostensiva barba.

Ativistas on-line da Bielorrússia também ficaram desgostos com a notícia e classificaram o programa como um “viveiro de sodomia”.

Se o ministério acatar o pedido da organização, a Rússia corre o risco de ser excluída do concurso.

Em 1998, a transsexual israelense Dana International, que antes da cirurgia de mudança de sexo era homem, venceu o prêmio máximo do Eurovision. O programa também teve drag queens vestidas como aeromoças representando a Eslovênia em 2002.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.