Adesão ucraniana à UE e conflito sírio pautam encontro entre Pútin e papa

Esta foi a quarta visita de Pútin ao Vaticano e o terceiro papa com quem o líder russo se encontra Foto: Reuters

Esta foi a quarta visita de Pútin ao Vaticano e o terceiro papa com quem o líder russo se encontra Foto: Reuters

Vladímir Pútin visitou o Vaticano, onde se encontrou com o Papa Francisco. Para o presidente da Rússia esta é a quarta visita à cidade-estado do Vaticano e o terceiro papa com quem ele se encontra. Os tópicos de discussão com o Papa Francisco são claramente mais numerosos do que os existentes com os papas anteriores, e a questão não está de modo algum na idade avançada dos pontífices, mas na situação mundial.

Logo após chegar à capital italiana na segunda-feira passada (25), o presidente russo Vladímir Pútin se dirigiu para o Vaticano para se encontrar com o Papa Francisco. Entre os temas abordados na visita, o embaixador russo no Vaticano, Aleksandr Avdeev, destacou questões internacionais importantes, como o conflito na Síria. Segundo ele, as posições da Rússia e do Vaticano estão bem próximas quanto à necessidade de proteger a população cristã no Oriente Médio e em áreas de conflito, especialmente no Líbano e na Síria.

“A integração da Ucrânia na União Europeia não implica apenas uma união econômica e política, mas também, e principalmente, ideológica”, diz a especialista em política do Vaticano e a doutora em História, Olga Tchetverikova. “O catolicismo é um dos instrumentos de integração dos ortodoxos da Ucrânia na comunidade ocidental. Tanto o Ocidente como o Vaticano olham para a Ucrânia como parte de seu espaço geopolítico.”

A presidente da seção parisiense do Instituto da Democracia e Cooperação, Natália Narotchnitskaia, acredita que, apesar de todos os problemas que os ortodoxos tiveram no passado com o catolicismo, os novos desafios devem juntá-los na questão comum da defesa dos valores tradicionais.

“Em nossas sociedades, aumentam vertiginosamente os casos de completa perda da cristandade e troca de valores”, diz ela. “Assim, é chegada a hora de se colocar novos desafios perante os católicos e ortodoxos, de unir esforços para a preservação da grande herança cristã”, acrescenta Narotchnitskaia.

Depois do encontro cara a cara, que durou 35 minutos (duas vezes mais do que o programado), ambos trocaram presentes. Pútin presenteou o líder religioso com um ícone de Nossa Senhora Mãe de Deus e recebeu de presente uma peça de porcelana com a imagem dos Jardins do Vaticano. Na despedida, o Papa pediu ao presidente para transmitir os seus votos ao patriarca russo Kirill.

Na presença dos membros da delegação, Pútin também se reuniu com o secretário de Estado do Vaticano, Pietro Parolin. 

 

Publicado originalmente pelo Vzgliad

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.