País libera frigorífico brasileiro para exportação

Em outubro, os russos já haviam liberado seis frigoríficos brasileiros para exportarem carne bovina ao país europeu Foto: AP

Em outubro, os russos já haviam liberado seis frigoríficos brasileiros para exportarem carne bovina ao país europeu Foto: AP

Estabelecimento é o sexto a receber autorização para voltar a exportar à Rússia apenas em novembro.

O site do serviço sanitário russo Rosselkhoznadzor publicou na quarta-feira (27) a liberação de um frigorífico brasileiro para exportar carne bovina desossada e in natura ao país europeu. O estabelecimento é da empresa Minerva S.A., no município de Bataiporã, no Mato Grosso do Sul.

A unidade estava com restrições temporárias para embarque à Rússia desde outubro de 2012.

A liberação foi feita após o Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) entregar às autoridades daquele país os documentos necessários para comprovar que foram corrigidos os problemas que motivaram a suspensão das vendas.

O estabelecimento deve ser liberado pelo Mapa para retomada das exportações ao mercado russo nos próximos dias.

Essa é a sexta liberação só no mês de novembro pelos russos de estabelecimentos brasileiros com restrições temporárias.

Na última sexta-feira (22) já haviam sido reabilitadas duas unidades de produção de origem suína: a Alibem, de Santo Ângelo, no Rio Grande do Sul, suspensa desde 2011, e a da Pamplona Alimentos, de Rio do Sul, em Santa Catarina, suspensa desde 2012.

Ainda neste mês, outros três frigoríficos de carne bovina foram liberados: Mataboi (suspenso desde 2011), em Goiás, Marfrig (suspenso desde 2011), no Mato Grosso, e JBS (suspenso desde 2009), em Rondônia.

Em outubro, os russos já haviam liberado seis frigoríficos brasileiros para exportarem carne bovina ao país europeu.

A Rússia é um dos principais compradores desse tipo de produto do Brasil. Entre janeiro e outubro deste ano, foram US$ 1,52 bilhão em vendas, o que representa uma alta de 6,2% sobre o mesmo período de 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.