Ativistas do Greenpeace são transferidos para São Petersburgo

Capitão do "Arctic Sunrise", Peter Willcox, está entre os 30 detidos em protesto do Greenpeace Foto: RIA Novosti

Capitão do "Arctic Sunrise", Peter Willcox, está entre os 30 detidos em protesto do Greenpeace Foto: RIA Novosti

Grupo de investigadores responsáveis pelo caso estarão mais próximos dos ambientalistas presos.

Os tripulantes detidos a bordo do navio do Greenpeace em setembro, incluindo a brasileira Ana Paula Maciel, foram transferidos nesta segunda-feira (11) do centro de detenção na cidade ártica de Murmansk.

O Comitê de Investigação da Rússia confirmou que o grupo estava sendo transferido porque o corpo investigativo do caso está concentrado em São Petersburgo.

A ONG internacional Greenpeace disse que a transferência do grupo, apelidado de Ártico 30 - começou às 5h00 (horário local). A cidade de São Petersburgo está situada a pouco mais de mil quilômetros ao sul de Murmansk.

Os 28 ativistas e dois jornalistas foram presos durante protesto em uma plataforma de petróleo administrada por uma filial da gigante de energia Gazprom.

Os investigadores inicialmente acusaram todos os 30 tripulantes de pirataria, mas depois abrandaram as acusações para vandalismo. Os ativistas podem pegar até sete anos de prisão se forem considerados culpados.

 

Publicado originalmente pelo The Moscow News

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.