Snowden pretende ficar na Rússia e já procura emprego, diz advogado

Não se sabe onde Snowden mora nem o que está fazendo Foto: RIA Nóvosti

Não se sabe onde Snowden mora nem o que está fazendo Foto: RIA Nóvosti

Anatóli Kutcherena não descartou que o futuro trabalho de Snowden na Rússia possa estar ligado à tecnologia de informação ou à defesa dos direitos humanos.

O ex-analista de inteligência da CIA Edward Snowden, que recebeu asilo temporário na Rússia em agosto passado, parece pretender ficar na Rússia por um longo tempo. Segundo seu advogado, Anatóli Kutcherena, ele está estudando russo e também procura um emprego.

De acordo com Kutcherena, Snowden recebeu algumas propostas interessantes. A primeira delas foi de Pável Durov, fundador da rede social russa Vkontakte, que conta com cerca de 43 milhões de usuários por dia.

"Acho que Snowden pode ter interesse em se dedicar à proteção dos dados pessoais de milhões de nossos clientes", disse Durov.

A segunda proposta foi feita pelo senador Ruslan Gattarov, chefe de um grupo de trabalho para a proteção de dados pessoais do Conselho da Federação (senado russo). Como a proposta previa a prestação de serviços de consultoria, o senador propôs abrir uma conta especial para doações em favor de Snowden.

"Snowden é um homem de posses modestas e o dinheiro que tem não vai durar muito tempo. Quero agradecer aos blogueiros por não serem indiferentes a seu destino. Eu também estou ajudando Snowden no que puder", disse o senador.

Muitos especialistas russos duvidam que o trabalho de Snowden esteja ligado aos segredos de Estado da Rússia, não descartando, contudo, que algumas empresas possam usá-lo para fins promocionais. Como potenciais empregadores são citados o Mail.ru Group e Kaspersky Lab. O advogado do denunciante da Agência de Segurança Nacional (NSA, na sigla em inglês) não comenta as preferências de seu cliente: "Sem comentários, mas assim que ele tomar uma decisão, iremos informá-los", disse Kutcherena a repórteres.

Mesmo assim, Kutcherena não descartou que o futuro trabalho de Snowden na Rússia possa estar ligado à tecnologia de informação ou à defesa dos direitos humanos. Seu pai, Lon Snowden, disse, após regressar aos EUA de uma visita à Rússia entre os dias 10 e 16 deste mês, que havia aconselhado seu filho a ficar na Rússia.

"Estive na Rússia como turista, como convidado, e sou muito grato a esse país por ter concedido asilo a meu filho", disse o pai de Edward Snowden.

Lon Snowden obteve um visto de múltiplas entradas e tem a intenção de trazer à Rússia outros membros da família. Segundo ele, asilado na Rússia, Snowden continuará enviando suas revelações a jornalistas. Uma das mais recentes, publicada em 15 de outubro no “Washington Post”, mostra que a NSA coletou milhões de listas de contatos de contas pessoais de e-mail e serviços de mensagens instantâneas do Gmail, Hotmail, Yahoo e Facebook.

Segundo Snowden, o programa de coleta intercepta agendas de endereços de e-mail e contatos de serviços de mensagens instantâneas no momento em que o usuário acessa o sistema ou configura seu dispositivo para a sincronização com o mesmo.

Enquanto isso, não se sabe onde Snowden mora nem o que está fazendo. Kutcherena se limita a declarações ocasionais. Sabe-se apenas que Snowden pode se locomover livremente pelo país e viaja sem ser reconhecido.

Kutcherena ofereceu a Snowden livros de literatura clássica russa, inclusive obras de Fiódor Dostoévski. "Eu trouxe alguns livros para ele. Pelo que estou vendo, ele quer lê-los e estudar a língua russa. Se ele tivesse a possibilidade, viajaria mais", disse Kutcherena.

Asilo

Os russos envolvidos em ações de espionagem ou outras atividades secretas obtêm, não raro, cargos altos ou lucrativos na Rússia, o que gera polêmica na sociedade.

Andrêi Lugovói, por exemplo, foi admitido, em 2007, como militante do Partido Liberal Democrático da Rússia (LDPR, na sigla em russo), liderado por Vladímir Jirinóvski e obteve o mandato de deputado federal. Lugovói é suspeito de implicação na morte do agente desertor do serviço secreto russo Aleksandr Litvinenko, em 2006, em Londres, por envenenamento por polônio.

A ex-espiã russa Anna Chapman, expulsa dos EUA em 2010, obteve o cargo de apresentadora da rede de televisão REN-TV, foi admitida no Conselho Público do movimento juvenil governista Jovem Guarda e pousou para a revista Maxim.

Em 4 de julho de 2013, Chapman propôs casamento a Edward Snowden em sua conta do Twitter. Snowden respondeu, escrevendo: "Me casaria com Chapman, apesar de tudo. Meu Deus, olhem para  ela!"

Em outro caso, a assistente russa do deputado do parlamento britânico Mike Hancock, Katia Zatuliveter, foi acusada, em dezembro de 2010, pelo serviço secreto britânico Mi5 de ter espionado para a Rússia, mas acabou absolvida pelo tribunal em novembro de 2011.

Ela não é menos famosa do que Lugovói ou Chapman e também chama a atenção da imprensa. Depois de voltar à Rússia, trabalhou no canal de TV Russia Today e participou da campanha eleitoral de um dos líderes da oposição russa, Aleksêi Naválni, para prefeito de Moscou.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.