Iraque retoma compra de armamento russo

Pelo acordo, o Iraque receberá 49 sistemas de defesa antiaérea Pantsir-S1 Foto: RIA Nóvosti

Pelo acordo, o Iraque receberá 49 sistemas de defesa antiaérea Pantsir-S1 Foto: RIA Nóvosti

Após revisar os contratos de 2012, governo iraniano irá receber sistemas de defesa e helicópteros para combater o terrorismo.

Em entrevista ao canal de televisão Russia Today, o conselheiro do primeiro-ministro do Iraque, Ali al-Musawi, declarou que o país voltou a comprar armas da Rússia, conforme um contrato no valor de US$ 4 bilhões assinado em 2012.

Pelo acordo, o Iraque receberá 49 sistemas de defesa antiaérea Pantsir-S1 e 40 helicópteros Mi- 35 e Mi- 28NE, além de equipamentos especiais, para uso em operações antiterroristas. “O sistema de defesa iraquiano criado com a assistência dos EUA e outros países ocidentais visa defender a soberania nacional e fazer frente ao terrorismo”, disse Ali al-Musawi.

Inicialmente, o governo iraquiano planejava comprar 36 helicópteros russos, mas esse número subiu para 40 em abril deste ano. O primeiro grupo de pilotos iraquianos já concluiu o curso de formação para o Mi-35 no Centro de Treinamento de Pilotos Militares de Torjok, a 240 km de Moscou.

Em junho passado, Rússia e Iraque assinaram um contrato para o fornecimento de helicópteros de combate russos Ka-52, e as partes também mantêm negociações sobre a compra de caças MiG-29M/M2 e veículos blindados.

De acordo com observadores russos, além de os militares iraquianos estarem acostumados a usar armas russas, o governo iraquiano pretende diversificar a lista de fornecedores de arsenal militar. Desde a queda de Saddam Hussein, o valor dos contratos militares fechados entre o governo iraquiano e os EUA ultrapassa US$ 12 bilhões, sendo a Rússia o segundo maior exportador mundial de armas para o país.

Parceiros de longa data

No início deste ano, correu a notícia de que o contrato para o fornecimento de sistemas de defesa antiaérea e helicópteros teria sido cancelado.

Porém, em uma coletiva de imprensa na sede do Ministério dos Negócios Estrangeiros em fevereiro deste ano, o diretor-geral da  Rosoboronexport (a única exportadora autorizada de armas do país), Anatóli Isaikin, disse que o acordo estava aguardando algumas definições antes de entrar em vigor.

Ao se referir às circunstâncias da transação, Ali al-Musawi disse que o lado iraquiano “tinha suspeitas de corrupção a respeito do acordo”.

“O presidente russo Vladímir Pútin e o primeiro-ministro iraquiano chegaram a acordo sobre a necessidade de refazê-lo para evitar quaisquer ilegalidades (..) e agora as partes começaram a cumprir uma de suas etapas”, disse o conselheiro.

Ao longo de 30 anos, o Iraque havia comprado boa parte de seu arsenal da União Soviética e da Rússia, investindo cerca de US$ 30,5 bilhões em mil aviões, 350 helicópteros, sistemas de defesa antiaérea, veículos terrestres e navios de guerra. 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.