Tráfico de drogas afegãs para Rússia conta com 1.900 quadrilhas

Plantação de papoulas para produção de heroína no Afeganistão Foto: Reuters/Vostock Photo

Plantação de papoulas para produção de heroína no Afeganistão Foto: Reuters/Vostock Photo

Grupos empregam 20 mil membros na produção e utilizam em torno de 100 mil “mulas” para o transporte dos entorpecentes.

Quase 1.900 grupos criminosos organizados e 150 grandes cartéis de drogas na Ásia Central estão traficando drogas ilícitas do Afeganistão para a Rússia, informou Víktor Ivanov, chefe do Serviço Federal de Controle de Drogas da Rússia (FSKN, sigla em russo).

Segundo ele, as quadrilhas de drogas empregam cerca de 20 mil membros ativos e utilizam em torno de 100 mil “mulas” para transportar as drogas para a Rússia.

Dados coletados pelo FSKN, polícia, serviços de inteligência e forças armadas mostram que o norte do Afeganistão concentra mais de 2 mil laboratórios de processamento de drogas, que operam como um “grande complexo de narcóticos” com destino final para o mercado russo.

Ivanov declarou em maio passado que existem cerca de 1,5 milhões de usuários de heroína na Rússia, cuja população total é de 143 milhões.

Quase 150 mil pessoas são presas anualmente por crimes relacionados a drogas na Rússia, de acordo com dados do FSKN, e cerca de 30 mil russos morrem de overdose de heroína todos os anos.

O Afeganistão continua a ser líder mundial no cultivo de papoula e produção de heroína, conforme descrito no Relatório Mundial sobre Drogas 2013 da ONU.

 

Publicado originalmente pelo The Moscow News

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.