Cameron rejeita pedido de Stephen Fry para boicotar Sôtchi-2014

Ator e escritor Stephen Fry em frente à Catedral de São Isaac, em São Petersburgo Foto: RIA Nóvosti

Ator e escritor Stephen Fry em frente à Catedral de São Isaac, em São Petersburgo Foto: RIA Nóvosti

Ator britânico havia solicitado ao primeiro-ministro para estimular a proibição das Olimpíadas de Inverno como resposta à “perseguição aos gays” na Rússia.

O ator, roteirista e apresentador britânico Stephen Fry pediu ao primeiro-ministro britânico e ao Comitê Olímpico Internacional (COI) nesta semana para impor uma “proibição absoluta” dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2014, em Sôtchi, justificada pela perseguição aos gays na Rússia.

Fry comparou o presidente russo Vladímir Pútin e a recente legislação antigay do país à caça promovida por Hitler aos judeus na Alemanha nazista.

“Ele está fazendo os homossexuais de bodes expiatórios, assim como Hitler fez com os judeus”, disse o ator britânico em uma carta aberta publicada em seu site. Pútin “não pode ser ileso dessa situação”.

Em junho, o presidente russo assinou uma lei que proíbe a promoção de “relações sexuais não tradicionais” entre menores de idade. Os infratores estão sujeitos a multas entre US$ 120 e US$ 30 mil.

Enquanto os defensores da lei dizem que a norma visa proteger as crianças de influências nocivas, os críticos garantem fazer parte de uma repressão mais ampla à comunidade gay na Rússia.

Em julho, Pútin assinou uma lei que também proíbe a adoção de crianças russas por casais estrangeiros do mesmo sexo. A nova legislação entrou em vigor 20 anos depois de a homossexualidade ser descriminalizada no país. Na época de Stálin, os gays eram punidos com até cinco anos de prisão.

Em sua carta, Fry pede ao primeiro-ministro britânico David Cameron e ao COI para proibir os Jogos de Sôtchi, conhecido por todos como o projeto de estimação de Pútin.

“A proibição absoluta da Olimpíadas de Inverno 2014 na Rússia é simplesmente essencial”, disse Fry. “A qualquer custo, Pútin não achar que tem a aprovação do mundo civilizado.”

Em sua conta no Twitter. o primeiro-ministro britânico agradeceu a mensagem de Fry e disse compartilhar a preocupação pelo abuso contra os gays na Rússia. “No entanto, acho que podemos fazer frente melhor aos preconceitos participando, em vez de boicotando os Jogos de Inverno”, escreveu Cameron.

Campanha internacional

A nova legislação antigay já atraiu apelos de ativistas ao redor do mundo para boicotar os Jogos Olímpicos de Sôtchi.

Um atleta que for considerado “fazendo propaganda” de relações gays poderá ser alvo da lei, apontou o ministro dos Esportes, Vitáli Mutko, no início do mês.

O COI revelou recentemente ter recebido garantias do governo russo de que a lei não será aplicada aos visitantes durante o evento esportivo. No último dia 30, o assessor de imprensa do vice-primeiro-ministro Dmítri Kozak, Iliá Djus, confirmou que a proposta está sendo avaliada.

 

Com informações do jornal The Moscow Times

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.