Fórum Econômico de São Petersburgo vai encurtar distância entre Brasil e Rússia

ajudará a consolidar acordos discutidos anteriormente pela presidente Dilma Rousseff com o premiê russo Dmítri Medvedev, em dezembro do ano passado Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

ajudará a consolidar acordos discutidos anteriormente pela presidente Dilma Rousseff com o premiê russo Dmítri Medvedev, em dezembro do ano passado Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Especialista brasileiro acredita que evento ajudará a remover barreiras comerciais entre os dois países.

Como a Rússia preside o G20 neste ano, a 17a edição do Fórum Econômico de São Petersburgo (Spief), país terá um programa especial sobre a agenda global do crescimento econômico sustentável, a Rússia no cenário global e os novos catalisadores de mudanças.

O diretor de política e estratégia da Confederação Nacional da Indústria (CNI) do Brasil, José Augusto Fernandez, acredita que o fórum se transformará em uma oportunidade para o Brasil e a Rússia encontrarem novas áreas de cooperação e discutirem as barreiras comerciais entre os dois países.

“O diálogo entre os governos é essencial para a redução das barreiras comerciais. Em particular, no Brasil, como a carne é um dos mais importantes produtos de exportação, a questão das barreiras sanitárias é sempre muito delicada”, disse Fernandez à agência RIA Nóvosti.

“Mas o Brasil e a Rússia têm possibilidade de cooperação também em outros setores, bem como na esfera dos investimentos diretos e da cooperação tecnológica em mercados de outros países", acrescentou o diretor da CNI.

Fernandez também acrescentou que o SPIEF vai permitir compreender melhor o potencial econômico da Rússia, os seus problemas organizacionais e os planos de sua integração na economia mundial.

O Spief 2013 será realizado entre os dias 20 a 22 de junho.


Publicado originalmente pela RIA Nóvosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.