Rússia apoia novas sanções da ONU contra a Coreia do Norte

Embaixador russo para a ONU, Vitáli Tchúrkin.Foto: Reuters

Embaixador russo para a ONU, Vitáli Tchúrkin.Foto: Reuters

Medida que pode ser aprovada até o final da semana é uma reação ao novo teste nuclear do país. A comunidade internacional, incluindo a Rússia, condenou o novo teste nuclear da Coreia do Norte.

A Rússia está disposta a apoiar um projeto de resolução do Conselho de Segurança da ONU com sanções contra a Coreia do Norte, apresentado na última terça-feira (5) pelos EUA em represália ao novo teste nuclear do país. O anúncio foi feito pelo embaixador russo para a ONU, Vitáli Tchúrkin.

“O [mais recente] projeto de resolução está focado nos programas nuclear e de mísseis da Coreia do Norte, e é isso que queríamos”, disse o diplomata, citado pela agência de notícias RIA Nóvosti.

Segundo Tchúrkin, é preciso deixar claro ao governo de Pyongyang que tais ações são inadmissíveis e relembrar da importância de “retomar as negociações entre seis partes sobre a desnuclearização da Península Coreana” .

O embaixador da Coreia do Sul para as Nações Unidas, Kim Sook, também se mostrou satisfeito com o projeto de resolução elaborado pelas delegações dos Estados Unidos e da China.

Os diplomatas de diversos países na sede da ONU não descartam a possibilidade de aprovar o projeto de resolução até o final desta semana.

Ao comentar a intenção do governo norte-coreano de declarar o acordo de cessar-fogo como “nulo”, anunciada na última terça-feira (5), o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, disse que a administração norte-americana espera que a Coreia do Norte esteja buscando a paz e aceite retomar as negociações.

No último dia 12, o governo norte-coreano confirmou a realização de teste envolvendo um engenho nuclear compacto com alto poder de destruição, apelidando-o de “medida de autodefesa forçada”. Três dias depois, as autoridades do país informaram a China sobre a intenção de realizar pelo menos mais um teste nuclear ao longo deste ano.

 

Publicado originalmente pelo Vzgliad

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.