Rússia perdoa parte da dívida cubana contraída na época soviética

Segundo o novo acordo, parcela dos 30 bilhões de dólares pendentes será perdoada e o restante, renegociado.

Até ao final deste ano, Rússia e Cuba vão assinar um acordo para cancelar parte dos US$ 30 bilhões da dívida cubana e renegociar o restante, segundo anúncio em Havana do ministro russo da Indústria e Comércio, Denis Manturov.

“A dívida acumulada se refere a empréstimos da União Soviética, e agora preparamos um acordo que deve ser submetido a todos os procedimentos necessários”, disse o ministro. Segundo ele, parte da dívida, que supera os US$ 30 bilhões, será perdoada e o valor restante, renegociado por um período de 10 anos.

Apesar disso, o governante não especificou a quantia exata que será perdoada. “Primeiro, devemos cumprir todas as formalidades internas e assinar um acordo final que determine o montante da dívida a ser renegociado e o valor a ser perdoado”, disse Manturov citado pela agência de notícias RIA Nóvosti.

A expectativa é que as formalidades do novo acordo com o lado cubano sejam resolvidas em um prazo de seis meses.

Aviões russos

Manturov também anunciou a assinatura de um acordo para fornecimento de aviões russos a Cuba no valor total de US$ 650 milhões.

A cerimônia de assinatura foi realizada após o fim das negociações russo-cubanas e copresidida pelo premiê russo, Dmítri Medvedev, e o líder cubano Raul Castro.

O acordo prevê a utilização do mecanismo de garantias estatais. Manturov explicou que a ideia é conceder “créditos comerciais que serão amortizados pela parte cubana em forma de pagamentos de leasing.”
 

Publicado originalmente pelo jornal Vzgliad

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.