Rússia anuncia exercícios conjuntos com a Otan em 2013

Chefe do Estado-Maior das Forças Armadas russas, coronel general Valerii Gerassimov. Foto: mil.ru

Chefe do Estado-Maior das Forças Armadas russas, coronel general Valerii Gerassimov. Foto: mil.ru

Após término do conselho OTAN-Rússia, o chefe do estado-maior da Rússia falou sobre a agenda conjunta para este ano.

O plano de cooperação militar entre a Otan e a Rússia prevê vários exercícios conjuntos e treinamento em 2013, disse na última quarta-feira (16) o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas russas, coronel general Valerii Gerassimov.

"O objetivo será elaborar as questões da cooperação prática em logística e combate ao terrorismo, bem como resgate no mar. Em especial, está previsto o treinamento ‘Logístico Capaz’, planejado para ser realizado neste verão na Eslováquia, onde será praticada a forma de se assegurar combustível, alimentos e outros recursos para os contingentes militares”, disse Gerassimov na conclusão da reunião do Conselho entre Rússia e Otan, que ocorreu em Bruxelas.

Ele também informou que a Rússia irá participar de exercícios Céu Vigilante, programado para o segundo semestre do ano.

"Nos treinamentos serão praticadas tarefas de combate ao terrorismo no transporte aéreo", disse Gerassimov.

Gerassimov informou que um plano de cooperação militar para o ano de 2013 foi adotado durante a reunião da quarta-feira.

"Continuaremos a cooperar em áreas como o combate ao terrorismo, pirataria, salvamento no mar, logística e no intercâmbio acadêmico e militar", disse.

"Estamos prontos para futuras conversações, incluindo a preparação dentro do Conselho Rússia-OTAN de análise conjunta das condições da estrutura de uma possível cooperação na área de defesa antímisseis na Europa."

Gerassimov também informou que a Rússia está disposta a discutir as perspectivas de cooperação com a OTAN sobre defesa antimíssil.

"Estamos prontos para futuras conversações, incluindo também a preparação dentro do Conselho Rússia-OTAN de análise conjunta das condições da estrutura de uma possível cooperação na área de defesa antimísseis na Europa."

"Esperamos que a aliança tome medidas para eliminá-las. Falamos abertamente sobre tudo isso aos nossos colegas”, informou o general.

Defesa antimísseis

Gerassimov disse ainda que a situação em torno das questões de defesa antimísseis  continua a ser complexa e chegar a soluções mutuamente aceitáveis para eliminar o sistema potencial anti-russo (defesa antimísseis) não foi conseguido por enquanto.

"Dissemos isso francamente para os nossos parceiros. Tentamos não só explicar, mas também mostrar, usando modelagem no computador, onde estão fundamentadas as nossas preocupações”, disse.

"Não temos a intenção de limitar a Otan na criação de um escudo antimísseis contra ameaças de mísseis do Oriente Médio. Mas temos o direito de esperar que a segurança dos países da Otan não será atendida em detrimento da segurança da Rússia.”

Ele observou que "é complicado construir uma relação de confiança se nossos meios de impedimento estão na mira dos meios de defesa de antimíssil da Otan”.

"Concordamos hoje em prosseguir o diálogo para procurarmos em conjunto uma maneira de sair dessa situação difícil", completou o general.


Publicado originalmente pela agência RIA Nóvosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.