Os heróis muçulmanos soviéticos da Segunda Guerra Mundial

Arquivo
Mais de 500 muçulmanos receberam o título de Herói da União Soviética durante a Segunda Guerra Mundial.

Em muitas famílias da União Soviética, as pessoas mantinham sua fé escondida a quatro chaves e, embora não haja nenhuma evidência oficial de que esses heróis professassem a religião islâmica, hoje, seus compatriotas têm certeza de que eles eram verdadeiros muçulmanos.

  1. Musa Jalil

O famoso poeta tártaro e correspondente de guerra Musa Jalil frequentava uma escola teológica muçulmana, o que não o impediu de se unir à juventude comunista, o Komsomol, e, durante a guerra contra a Alemanha nazista, tornar-se instrutor político do Exército Vermelho.

Por muito tempo, Jalil foi considerado um traidor da pátria na URSS. Capturado em 1942, ele logo se uniu à chamada legião “Idel-Ural”, criada pelos alemães. Essa formação militar reunia prisioneiros de guerra do Exército Vermelho que manifestavam desejo de lutar contra o bolchevismo.

O verdadeiro objetivo de Jalil, entretanto, não era lutar pelo Terceiro Reich, e sim destruir a legião Idel-Ural por dentro. Ele se tornou um dos membros mais importantes da organização clandestina formada dentro da legião. Os alemães enviavam Musa Jalil para diversos campos de prisioneiros de guerra a fim de conduzir ali a propaganda nazista. Ele, porém, se aproveitava dessas oportunidades para recrutar novos membros da resistência.

Como resultado, o primeiro batalhão de Idel-Ural enviado para a zona de combate matou seus oficiais alemães e passou quase por completo para o lado dos guerrilheiros soviéticos. Os seis batalhões restantes de Idel-Ural foram considerados ineficazes e não confiáveis pelos nazistas.

Musa Jalil foi preso pelos alemães em agosto de 1943 e executado na guilhotina após um ano de torturas. Em 1956, ele foi condecorado postumamente com o título de Herói da União Soviética.

  1. Khanpasha Nuradilov

Khanpasha Nuradilov serviu no exército soviético por pouco mais de um ano, mas, durante esse tempo, ele conseguiu ganhar fama por toda a União Soviética. O jovem tchetcheno matou 920 soldados alemães e se tornou o atirador mais eficaz do Exército Vermelho.

Nuradilov foi ferido várias vezes e acabou sendo o único sobrevivente de seu batalhão, mas sempre lutou até o fim, infligindo perdas significativas ao inimigo. Depois de apenas uma batalha perto da aldeia ucraniana de Bayrak, na primavera de 1942, o comandante do esquadrão de cavalaria contou mais de trezentos soldados alemães mortos pela metralhadora de Nuradilov.

Em 12 de setembro de 1943, aos 18 anos de idade, Nuradilov foi morto perto de Stalingrado. No ano seguinte, ele foi condecorado postumamente com o título de Herói da União Soviética.

  1. Domullo Azizov

Nativo da República Soviética de Tadjiquistão, o sargento-júnior Domullo Azizov participou de uma das operações mais importantes do Exército Vermelho na Segunda Guerra Mundial, a travessia do rio Dnieper no outono de 1943.

Em 15 de outubro, Azizov entrou em um dos primeiros grupos de desembarque na região. Sob forte fogo inimigo e sem esperar, ele saltou do barco, correu diretamente para trincheiras alemãs, matou dezenas de atiradores com uma granada, pegou uma metralhadora alemã e disparou contra o inimigo, contendo todos os contra-ataques.

Apenas nove dias mais tarde, o Herói da União Soviética Domullo Azizov foi morto durante uma das batalhas pela libertação da região de Gomel, na Bielorrússia, e foi enterrado ali, em uma vala comum.

  1. Iussup Akaiev

Os jornais soviéticos chamavam o nativo do Daguestão Iussup Akaiev de “coração valente” e “homem lendário”. Ele foi um dos mais famosos pilotos da aviação da Frota do Mar Negro.

Ele realizou 104 missões em seu avião de ataque Il-2 apelidado de "tanque voador", destruiu 18 navios de vários tipos, 3 locomotivas a vapor, 11 tanques e muitos outros equipamentos militares.

Akaiev atacava navios inimigos não mergulhando sobre eles com seu avião, mas voando a altitudes ultrabaixas. Ao se aproximar, ele jogava bombas e depois começava a ganhar altitude. Esse método de bombardeio apresentava grandes riscos, mas, ao mesmo tempo, alta eficiência.

Iussup Akaiev se tornou um dos poucos pilotos de ataque que conseguiu sair vitorioso de uma batalha aérea desigual contra dois caças inimigos.

O Herói da União Soviética Akaiev testemunhou a vitória na Segunda Guerra Mundial, mas, devido aos graves ferimentos sofridos, morreu em 1949, aos 27 anos de idade.

LEIA TAMBÉM: O piloto soviético que escapou de um campo de prisioneiros nazista roubando um bombardeiro

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies