Como a Rússia anexou a Ásia Central?

"Pela linha do muro. 'Que venham'"

"Pela linha do muro. 'Que venham'"

Vassíli Verescháguin/Galeria Tretiakov
Região sempre foi arena de grande disputa entre os impérios russo e britânico. E foi justamente o surgimento dos britânicos na região que incentivou os russos a conquistá-la.
  1. A Ásia Central, que se estende desde as estepes do Cazaquistão até o Afeganistão e do Mar Cáspio até às fronteiras da China, foi a última grande aquisição territorial do Império Russo antes de seu colapso, em 1917.
  1. Por muito tempo, a Rússia não se atreveu a interferir nos assuntos da região da Ásia Central. Os territórios, onde ficam hoje o Cazaquistão, o Tadjiquistão, Turcomenistão, o Quirguistão e o Uzbequistão, sempre foram um verdadeiro caldeirão: dezenas de tribos e pequenos Estados travavam guerras brutais e conflitos sangrentos intermináveis ali.
Cossacos enfrentam quirguizes.
  1. As maiores formações na Ásia Central foram o Canato de Cocande, o Canato de Quiva e o Emirado de Bucara. Mesmo no século 18, esses Estados seguiam os princípios das ordens feudais medievais e se utilizaram ativamente da escravidão.
Canato de Cocande.
  1. Em 1714, o tsar Pedro, o Grande (Pedro 1°), enviou uma expedição militar ao Canato de Quiva para testar a força de seus vizinhos da Ásia Central. O destacamento mais bem preparado e tecnicamente equipado do príncipe Aleksandr Bekóvitch-Tcherkásski, com 6 mil pessoas, dispersou com facilidade o exército de Shergazi Khan, com 24 mil pessoas. O então governante de Quiva ofereceu uma trégua, durante a qual atacou inesperadamente, matou e capturou os soldados russos. A cabeça do príncipe Bekóvitch-Tcherkásski foi enviada de presente ao cã de Bucara.
Aleksandr Bekovich-Tcherkasski.
  1. Durante o século 18, a Rússia exlorou ativamente a estepe do Cazaquistão e se aproximou das fronteiras dos estados da Ásia Central. Os cãs cazaques de pequenas e médias zhuzes (associações) passaram voluntariamente para o lado da Rússia, buscando proteção contra os ataques devastadores dos vizinhos Dzungars. O maior zhuz, por sua vez, permaneceu politicamente dependente de Cocande.
Muhammad Khudayar Khan, o cã de Cocande.
  1. A coexistência relativamente pacífica da Rússia com os Estados da Ásia Central terminou em meados do século 19. A razão para isso foi o surgimento de um novo e perigoso elemento na região: a Grã-Bretanha. Os britânicos, que tinham conquistado boas posições no Hindustão, começaram a se mover ativamente para o norte, tentando estender sua influência sobre Afeganistão, Buсara, Cocande e Quiva. Quando diplomatas e agentes secretos do Ministério da Guerra da Grã-Bretanha surgiram em cidades da Ásia Central, a Rússia decidiu se preparar para um ataque preventivo. A Ásia Central tornou-se a arena da luta entre os dois impérios, que ficou conhecida como "O Grande Jogo".
Caricatura dos tempos do
  1. A expansão da Rússia para a região da Ásia Central também teve razões econômicas. Devido à Guerra Civil nos Estados Unidos, o fornecimento de algodão para a Rússia caiu drasticamente, o que afetou a indústria têxtil do Império Russo. Nessas condições, a Rússia precisava encontrar urgentemente uma fonte alternativa e estável de matérias-primas, como Cocande ou Bucara.
  1. Os Estados da Ásia Central praticamente não tiveram chances de resistir aos exércitos russos. O treinamento de seus soldados deixava muito a desejar e apenas um quarto do pessoal possuía armas de fogo. “Não há exército regular em Cocande”, escreveu o historiador Vladímir Veliaminov-Zernov, na década de 1850. “O povo de Cocande tem artilharia, mas ela é tão ruim que dificilmente poderia ser chamada por esse nome."
  1. A enorme superioridade numérica dos Canatos de Quiva, Cocande e do Emirado de Bucara no confronto com tropas russas bem treinadas não teve nenhuma influência. Em 29 de junho de 1865, um pequeno destacamento de 1.300 soldados do general Mikhaíl Tcherniaev capturou uma das maiores e mais ricas cidades do Canato de Cocande, Tasquente, defendida por uma guarnição de 30 mil pessoas. Dois anos depois, a cidade se tornou o centro administrativo do novo Governo Geral do Turquestão.
  1. “Foi incrível ver como poucos soldados nossos, cercados por uma nuvem de cavaleiros de Bucara, conseguiam avançar e tomar uma base que era considerada inacessível e a mais forte delas", escreveu Aleksêi Kuropátkin, então futuro ministro militar do Império Russo, sobre a batalha pela cidade de Samarcanda, em 27 de maio de 1868.
“Ataque Surpresa”.
  1. Em 14 de junho de 1868, durante a batalha nas colinas de Zerabulak, o exército do Emir Muzaffar, com 30 mil soldados, foi derrotado por um destacamento de 2 mil soldados do general Konstantin Kaufman, o que levou ao fim do Emirado de Bucara. Em 1873, o Canato de Quiva teve o mesmo destino e, em 1876, o Canato de Cocande.
Konstantin Kaufman.
  1. Uma das operações mais difíceis para as tropas russas na Ásia Central foi a conquista das tribos Teke que viviam no território do atual Turcomenistão. Somente durante o cerco e o assalto à cidadela Geok-Tepe, em janeiro de 1881, os russos perderam mais de mil homens. Para efeitos de comparação, no decorrer das batalhas mais ferozes contra Bucara e Quiva, o exército russo perdeu apenas algumas dezenas de homens.
Ataque russo ao forte de Geok Tepe durante o cerco de 1880-81.
  1. Com a anexação voluntária das tribos Merv ao Império Russo, em 1884, e a saída das tropas russas para as fronteiras do Afeganistão, que estava sob o protetorado britânico, a conquista da Ásia Central foi concluída. O novo governo local acabou com a escravidão e com os eternos conflitos entre as populações locais. Nem todos os territórios, porém, se tornaram parte do Império Russo. O Emirado de Bukhara e o Canato de Quiva, que perderam a maior parte de seus territórios, mantiveram oficialmente sua independência, reconhecendo o protetorado russo. Isso permitiu que o Império Russo realizasse um controle efetivo sobre essas regiões sem dispender recursos significativos. “Na minha opinião, o melhor chefe da região é o emir de Bucara”, disse o governador-geral do Turquestão, Konstantin Kaufman. Somente em 1920 a independência dos dois Estados foi finalmente eliminada pelos bolcheviques.
Algodão de Cocande.
  1. A Grã-Bretanha, cujo surgimento na região da Ásia Central provocou a expansão russa, assistia aos sucessos de seu adversário geopolítico sem interferir. Londres, que sobreviveu a uma revolta grave dos sipais na Índia entre 1857 e 1859, não tinha nem forças, nem recursos para entrar em um conflito aberto com a Rússia e se limitou apenas a protestos diplomáticos.
Sepoy Mutiny.
  1. Embora os britânicos tenham perdido a Ásia Central, eles protegiam cuidadosamente a rota para o Afeganistão e a Índia dos russos. Quando se iniciou o conflito entre as forças russas e afegãs na fronteira, em 1885, a Grã-Bretanha estava prestes a declarar guerra à Rússia. Nos anos seguintes, as partes se sentaram repetidamente à mesa de negociações para determinar as esferas de influência na região. “O Grande Jogo” entre os dois impérios terminou apenas com a assinatura, em 1907, da convenção anglo-russa, que completou a formação de um bloco político-militar entre Rússia, Grã-Bretanha e França, conhecido como Tríplice Entente.
Batalha de Kuchka.

LEIA TAMBÉM: Por que a Índia foi a melhor amiga da URSS na Ásia?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies