As joias soviéticas do Fundo de Diamante do Kremlin

Iúri Somov/Sputnik
O principal tesouro da Rússia não tem só pedras e joias do Império Russo, mas também joias criadas por mestres soviéticos especificamente para exposições.

É fácil imaginar esses luxuosos colares de esmeralda e tiaras de diamantes no centro das atenções em um evento da alta sociedade, mas eles nunca foram realmente usados. Eles foram feitos no período soviético especialmente para uma exposição do Fundo de Diamante apresentando recriações de joias históricas perdidas.

Fundo de Diamante.

Durante a Primeira Guerra Mundial, os tesouros dos Romanov armazenados na Sala dos Diamantes do Palácio de Inverno foram transportados para o Arsenal do Kremlin de Moscou, onde ficariam guardados. Mas a Revolução de 1917 logo se desenrolou e joias e insígnias imperiais de valor inestimável acabaram nas mãos dos bolcheviques. Nos anos que se seguiram, a nova liderança do país conseguiu fazer grandes vendas dessas peças em leilões estrangeiros e manteve apenas as pedras e as joias mais extraordinárias.

Convidado estrangeiro experimenta coroa de imperadores russos, tendo em mãos o cetro e o orbe.

Em 1967, o Kremlin abriu uma exposição de pedras preciosas e joias artísticas para comemorar o 50º aniversário do governo soviético. Inicialmente, ela deveria durar um ano, mas acabou que ela foi tão popular que se tornou permanente. Na década de 1970, joalheiros do Fundo de Diamante decidiram recriar joias da Sala de Diamante a partir de catálogos antigos. Suas criações estão em exibição ainda hoje.

Diadema de campo russo

O diadema de campo russo é uma réplica do Feixe de Trigo, um dos mais famosos diademas dos Romanov. O original pertenceu à imperatriz Maria Feodorovna (1759-1828), mulher de Paulo I, e foi feito pelos irmãos Duval no início do século 19. É composto por feixes de ouro decorados com diamantes e um conjunto de safira leuco (safira incolor que simboliza o sol) no centro. Foi vendido em leilão e nada mais se soube sobre seu destino.

O diadema soviético foi feito em 1980 em homenagem ao "desenvolvimento de terras virgens". Os feixes amarelos do trigo são feitos de ouro e os talos de trigo brancos são feitos de platina e enfeitados com 1.837 diamantes de diferentes tamanhos. No centro da tiara há um diamante amarelo de 32,52 quilates.

Tiara Beleza Russa

Outra peça de exibição famosa foi a recriação de um diadema de pérola perdido que pertencia a Alexandra Feodorovna (1798-1860), a mulher de Nicolau 1°. O diadema original de 1841, feito por Carl Bolin, foi revendido várias vezes e agora está, a que tudo indica, nas Filipinas. Em 1987, os joalheiros soviéticos conseguiram fazer uma cópia bastante precisa desta obra-prima. A tiara é decorada com 928 diamantes e 25 pérolas grandes. Mas, ao contrário do original, as pérolas desta cópia foram cultivadas e, em vez de prata, os joalheiros usaram platina.

Colar de plastrão

O plastrão é um tipo enorme de colar que cobre não só o pescoço, mas também o peito. Esta joia é uma reprodução exata de um antigo plastrão feito por Carl Faberge em meados do século 19. É composta por cinco arcos móveis, cada um contendo uma esmeralda dos Urais em corte cabochão.

Broche Fantasia de Flor

Broches bandeau como este eram usados ​​na época tsarista para enfeitar vestidos e geralmente eram seccionais. Este broche específico nunca esteve na caixa de joias dos Romanov: é uma criação original feita por joalheiros soviéticos em 1991 com base em imagens de várias joias antigas. O Fantasia de Flor é composto por cinco partes móveis e pode ser transformado em um colar, pequenos broches e pingentes. A joia pesa quase 400 gramas e é feita com platina, ouro, 1.135 diamantes, 68 rubis e 15 pérolas.

Broche Rosa

A última imperatriz, Alexandra Feodorovna (1887-1918), tinha um broche em forma de rosa do qual só há rastro em fotos antigas. Mas os joalheiros soviéticos não fizeram simplesmente uma cópia deste item. A rosa, em tamanho natural, é feita de platina e fixada em molas, de modo que a flor parece balançar como se fosse de verdade. O broche é decorado com quase 1.500 diamantes e foi feito em 1970 para o centenário de Vladimir Lenin.

Colar e Pulseira Primavera

O conjunto Primavera foi criado em 1977 inspirado em antigas joias russas. O colar e a pulseira são feitos de platina e ouro com diamantes da Iakútia e esmeraldas dos Urais.

Broche buquê

Este pequeno buquê precioso feito em 1968 lembra uma joia do século 17 com motivos florais populares. O Fundo de Diamante preservou vários broches antigos semelhantes. No passado, os mestres colocavam folhas sob as pedras para “colorir” os diamantes. Este broche soviético é feito de diamantes e esmeraldas.

Colar jubileu

Esta peça de platina e ouro foi feita em 1981 para comemorar o 35º aniversário da vitória soviética na Primeira Guerra Mundial. Possui 512 diamantes e 31 rubis.

LEIA TAMBÉM: Quais joias da família Romanov estão no Fundo de Diamantes do Kremlin?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies