Como o Império Russo foi formado

Domínio público; Russia Beyond
Ele foi o terceiro maior Império do mundo. Mas como surgiu?

No curso de sua história, o Império Russo ocupou partes do leste e do norte da Europa, da Ásia e até mesmo da América do Norte. Foi o terceiro maior Estado da história da humanidade, após o Império Britânico e o gigantesco Império Mongol, de Genghis Khan. Mas o melhor momento do Império Russo foi antes mesmo de ele ter sido criado. Na verdade, aconteceu em um prédio que nem existe mais hoje.

O que o tsar Pedro fez para criar o Império Russo? 

Pedro, o Grande, com trajes imperiais, de A. Antropov, 1770

No início do século 18, a Rússia era recém-chegada entre os Estados europeus, e o título de seu soberano – tsar – era um tanto difícil de compreender para os europeus. Diversas vezes antes, Pedro foi citado como “o imperador russo” pelos europeus – por exemplo, durante sua visita à Inglaterra, ainda em 1698. O vasto território da Rússia (em comparação sobretudo com os Estados europeus) indicava que seu soberano era algo mais do que apenas um rei, mas não apenas isso.

Reunião do Senado durante o reinado de Pedro

A partir de 1706, pela primeira vez na história da Rússia, Pedro concedeu a alguns de seus súditos (como o comandante militar Borís Cheremétiev, o estadista Nikita Zotov, e o almirante Fiódor Apraksin, entre outros) o título de “Conde”. Em 1707, Aleksandr Menchikov foi o primeiro homem na Rússia a se tornar príncipe (Cnezo) não por nascimento, mas por ordem do tsar. Na Europa, os direitos de conceder títulos como condes e príncipes pertenciam aos imperadores. Em 1710, um ano após a surpreendente vitória da Rússia sobre a Suécia na Batalha de Poltava, o enviado britânico à Rússia, Charles Whitworth (primeiro Barão Whitworth) referiu-se ao tsar Pedro como “Kaiser” (semelhante ao Kaiser, o imperador soberano do Sacro Império Romano-Germânico, que existiu até o início do século 19) em seu discurso.

Construção dos 12 Collegiums em 1820

O tsar Pedro enfim modificou as instituições estatais russas. Em 1711, ele criou o Senado Dirigente – um evidente gesto de homenagem ao Senado do Império Romano. O Senado russo era um conselho de funcionários públicos de alto escalão e comandantes militares que tinham o direito de tomar decisões estatais na ausência do tsar. Mais tarde, em 1718 e 1719, começou a criação de ministérios estatais centralizados, chamados de Collegium. Esses ministérios gradualmente substituíram os sistemas obsoletos dos “prikazes” de Moscou, dividindo as funções do Estado entre as respectivas instituições. Desse modo, em 1721, foram feitos todos os preparativos para anunciar o novo status do Estado russo e de seu soberano.

Como, onde e quando o Império Russo foi proclamado?

Antiga Catedral da Trindade em São Petersburgo

A criação do Império Russo foi anunciada em 22 de outubro de 1721, junto com a celebração do Tratado de Nystad (que deu ponto final à Grande Guerra do Norte entre a Suécia e a Rússia, em 10 de setembro de 1721). De acordo com o documento, a Suécia reconhecia a transferência da Estônia, da Livônia, da Íngria e do sudeste da Finlândia para o Império Russo. Para os russos, esta foi uma vitória de grande significado, porque pouco antes do conflito, o Império Sueco era a potência militar mais poderosa da Europa. Agora, este título pertencia à Rússia.

A decisão de proclamar Pedro como o Imperador da Rússia foi proposta oficialmente apenas quatro dias antes da cerimônia solene, em 18 de outubro de 1721, pelos membros do Santíssimo Sínodo (corpo governante da Igreja Ortodoxa Russa). Eles “imploraram” a Pedro para aceitar o título de “Pedro, o Grande, Pai da Pátria e Imperador de toda a Rússia”. No dia seguinte, a decisão foi levada ao Senado. Em 20 de outubro, o príncipe Aleksandr Menchikov anunciou a decisão a Pedro, que, segundo relatos, recusou-se a aceitar o título, mas acabou dando seu consentimento.

Local da Antiga Catedral da Trindade nos dias de hoje

Em 22 de outubro, a cerimônia religiosa de gala foi realizada na Catedral da Antiga Trindade, a primeira e mais antiga igreja de São Petersburgo (destruída pelos bolcheviques em 1933). Mais de 1.000 das mais altas patentes militares e civis foram reunidas no evento, e 125 galés da Frota do Báltico ficaram alinhadas no rio Neva, perto da Praça da Trindade. Dentro da pequena catedral de madeira, em um ambiente um tanto modesto, Pedro aceitou o título de imperador. Depois da missa, o chanceler Gavriil Golovkin (1660-1734) fez um discurso no qual, em nome do Senado, do Sínodo e de todo o povo do tsarismo russo, pediu a Pedro que aceitasse o título de imperador. Ao aceitar o título, Pedro, o Grande fez um discurso curto, de apenas três frases, agradecendo a Deus pela vitória sobre a Suécia, encorajando os soldados russos a continuarem a praticar seus exercícios militares e concluindo com “é apropriado trabalhar pelo proveito e bem comum que o próprio Deus põe diante dos nossos olhos [...] para que o povo seja consolado”.

Junto com Pedro, que teve seu título de tsar para imperador, sua esposa passou de tsarina para imperatriz, e a coroa do tsar no brasão de armas do Estado foi substituída pela coroa imperial. Após a cerimônia, aconteceu uma grande festa, com fogos de artifício por quase três horas, organizados e controlados pelo próprio Pedro, o Grande. O imperador bebeu com os convidados até as três da manhã, e a festa durou mais uma semana.

LEIA TAMBÉM: Como se formou a URSS?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies