O último dos últimos desfiles dos Aliados e soviéticos (FOTOS)

Deutsche Fotothek‎ (CC BY-SA 3.0)
A URSS e os países ocidentais organizaram vários desfiles conjuntos após a Segunda Guerra Mundial. Planejados para que fossem lembrados como símbolos de grande vitória, acabaram sendo completamente esquecidos quando a Guerra Fria começou.

Pouco depois da derrota da Alemanha nazista, cada país dos Aliados realizou pelo menos um desfile grandioso para comemorar o feito notável. Acompanhados por centenas de equipamentos militares, dezenas de milhares de soldados marcharam nas ruas de Moscou, Nova York, Londres e Berlim em solidariedade.

No entanto, quando o assunto era celebrações comuns entre os Aliados, as coisas não iam tão bem. Inspirado pelo comandante soviético Gueórgui Jukov, o desfile conjunto na capital alemã em 7 de setembro de 1945 deveria ser um evento notável. Reuniu 5.000 soldados das formações militares lendárias que atacaram Berlim, chegaram à Normandia, lutaram nas Ardenas e no Norte da África, e libertaram Polônia e França.

No entanto, a parada foi marcada pela ausência dos principais comandantes dos Aliados ocidentais (Dwight Eisenhower, Jean de Lattre de Tassigny e Bernard Montgomery), que a princípio haviam aceitado o convite e depois se recusaram a comparecer. Em vez deles, foram enviados generais menos importantes.

Depois desse “desfile esquecido”, como ficou conhecido na história, os soldados marcharam conjuntamente no dia 11 de novembro do mesmo ano para homenagear a inauguração do memorial de guerra soviético no Tiergarten, no centro de Berlim.

Em 8 de maio de 1946, foi realizado o último dos últimos desfiles dos Aliados. E que ficou ainda mais esquecido do que os anteriores; sequer restam detalhes.

O que se sabe é que soldados soviéticos, franceses, norte-americanos e britânicos marcharam pelo Tiergarten, do Portão de Brandemburgo (perto do Reichstag semidestruído) até o Memorial de Guerra. Ao chegarem, foram recebidos pelo comandante das tropas soviéticas em Berlim, o major-general Aleksander Kotikov e seus colegas estrangeiros: o general francês Charles Lançon, o general norte-americano Frank A. Keating e general britânico Eric P. Nares.

Nenhum equipamento de aviação ou militar participou do modesto desfile, que envolveu apenas centenas de soldados. Este que foi um  dos últimos acontecimentos conjuntos dos países vencedores foi logo esquecido, pois as nações já se preparavam para o confronto da Guerra Fria. Nos anos que se seguiram, as tropas soviéticas marcharam sozinhas pelas ruas de Berlim.

LEIA TAMBÉM: Por que a URSS não se uniu aos Aliados em 1939?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies