10 fotos que resumem a Rússia dos anos 2000

Primeira década do novo século foi marcada por tragédias e inovações.

Putin é eleito presidente da Rússia

Em 31 de dezembro de 1999, o primeiro presidente da Rússia, Boris Iéltsin, anunciou que deixaria o cargo. O então primeiro-ministro Vladimir Putin foi nomeado presidente interino e, três meses depois, venceu a eleição presidencial, com 53% dos votos.

Sala de Âmbar retorna à Rússia

O presente dado ao imperador russo Pedro, o Grande, pelo rei prussiano Frederick William 1º, foi removido do Palácio de Catarina, em Tsárskoie Selô, nos arredores de São Petersburgo, pelas tropas nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.

Cinquenta e cinco anos após o fim do conflito, a obra-prima do século 18 ainda não foi totalmente recuperada. Em abril de 2000, o então ministro da Cultura da Alemanha, Michael Naumann, entregou a Pútin os fragmentos da Sala de Âmbar original, descobertos em diferentes lugares. Estes acabaram sendo incorporados à sala restaurada, que foi enfim aberta ao público três anos depois, em 2003.

O desastre do submarino Kursk

Em 12 de agosto de 2000, o submarino nuclear Kursk afundou no mar de Barents; todos os membros da tripulação morreram. Esse trágico acontecimento foi a primeira emergência que Putin enfrentou como presidente. A resposta das autoridades ao desastre, que muitos consideraram “lenta”, foi duramente criticada pela imprensa.

Cientista russo recebe Prêmio Nobel

Em 2000, a Academia Real das Ciências da Suécia concedeu o Prêmio Nobel de Física ao cientista soviético-russo Jores Alferov e ao físico alemão Herbert Kroemer por desenvolver heteroestruturas semicondutoras usadas eletrônicos de alta velocidade e optoeletrônica no final da década de 1960 – a inovação marcou o início do desenvolvimento da telefonia móvel.

Crise dos reféns do teatro Dubrovka, em Moscou

Em 23 de outubro de 2002, um grupo de terroristas fez mais de 900 pessoas reféns durante a apresentação do musical “Nord-Ost” no teatro Dubrovka, em Moscou. Três dias depois, combatentes da unidade de operações especiais Alpha invadiram o prédio. Todos os terroristas foram mortos. No entanto, um dos eventos mais trágicos da história moderna da Rússia também resultou na morte de 130 reféns. Segundo relatos não oficiais, esse número de mortos pode ter sido ainda maior.

Ataque terrorista em escola de Beslan

Durante uma cerimônia que marcava o início de um novo ano letivo, em 1º de setembro de 2004, um grupo de terroristas cercou uma escola em Beslan (Ossétia do Norte), tomando mais de 1.100 pessoas, incluindo crianças, como reféns. Os terroristas mantiveram os reféns em um prédio minado ao longo de três dias. No terceiro dia, o Centro de Operações Especiais do FSB (Serviço Federal de Segurança) invadiu o prédio. Ainda assim, 333 pessoas, dentre elas 186 crianças, morreram. 

Lançamento do Vkontakte, o ‘Facebook russo’

Em 10 de outubro de 2006, a primeira rede social da Rússia, VKontakte, foi oficialmente lançada. A data também coincidiu com o 22º aniversário do fundador, Pável Durov. Em seu primeiro ano, o VKontakte atraiu mais de 3 milhões de usuários. Atualmente, a rede tem mais de meio bilhão de usuários registrados, tornando-a uma das dez principais plataformas de mídia social do mundo.

COI escolhe Sochi como sede dos 22º Jogos Olímpicos de Inverno

Em 2007, a cidade turística à beira do mar Negro venceu PyeongChang, na Coreia do Sul, na corrida para sediar os Jogos Olímpicos de Inverno de 2014.

A cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos de 2010, em Vancouver, contou com uma apresentação oficial de Sochi como a capital dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2014. Com custo estimado em US$ 55 bilhões, a Olimpíada de Sochi foi considerada por muitos como a mais cara da história dos jogos de inverno.

Guerra de cinco dias com a Geórgia

Com o agravamento do conflito entre Geórgia e Ossétia, em agosto de 2008, o então presidente russo Dmítri Medvedev anunciou o início de “uma operação para coagir a Geórgia à paz”. Cinco dias depois de as tropas russas entrarem na região, líderes da Rússia, Geórgia, Ossétia do Sul e Abecásia assinaram um plano de paz. 

Matemático russo soluciona conjectura de Poincaré (e recusa prêmio)

O matemático russo Grigôri Perelman resolveu um dos Prêmios dos Problemas do Milênio em 2003. Depois de a comunidade matemática reconhecer a solução como correta, o Instituto Clay de Matemática concedeu o prêmio de US$ 1 milhão a Perelman. No entanto, o acadêmico russo recusou a bonificação, alegando que a “monetização do êxito é o insulto máximo à matemática”.

LEIA TAMBÉM: Os 3 principais fatores para a queda da URSS

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies