Batalha de Kursk: como Hitler perdeu a última esperança de vencer a Segunda Guerra Mundial

Getty Images
Há 75 anos, durante a Batalha de Kursk, os nazistas perderam uma ofensiva estratégica. Após a derrota, a Wehrmacht começou a recuar até a Alemanha de Hitler ser esmagada em 1945.

A batalha de Kursk, que ocorreu de 5 de julho a 23 de agosto de 1943, foi uma das maiores e mais sangrentas da história da humanidade. Dois milhões de pessoas, 6.000 tanques e 4.000 aeronaves participaram do confronto a 450 km ao sul de Moscou. As baixas russas somaram 250 mil pessoas, e os nazistas perderam 500 mil soldados. 

Depois de ser esmagadoramente derrotado em Stalingrado, Hitler estava desesperado para recuperar a iniciativa. O plano de campanha para o verão de 1943 era atacar simultaneamente o sul e o norte na região de Kursk para cercar e capturar o Exército Vermelho. Este plano foi chamado Operação Cidadela.

Soldados alemães

Paralelamente, os líderes militares soviéticos também planejavam uma ofensiva de verão para capitalizar com o sucesso de Stalingrado. No entanto, ao saber dos preparativos para a Operação Cidadela, a equipe soviética mudou de tática. Eles adiaram a ofensiva e decidiram lutar primeiro contra o ataque alemão.

General do Exército Iossif Apanasenko, major-general Aleksandr Rodimtsev, tenente-general Pável Rotmistrov, em julho de 1943

Antecipando-se ao ataque, as tropas soviéticas reforçaram a defesa, tornando-a quase impossível de penetrar: oito linhas de fortificações foram construídas.

Quando os alemães iniciaram a ofensiva, em 5 de julho, eles conseguiram algum progresso no sul, mas, na frente norte, seus ataques foram contidos pelas linhas de defesa soviéticas. Ao mesmo tempo, o Exército Vermelho alcançou seu objetivo principal: impedir que os dois exércitos alemães se unissem e os cercassem.

A famosa batalha de tanques em Prókhorovka, em 12 de julho, na qual participaram mil tanques de cada lado, fazia parte do ataque alemão no sul.

O confronto, porém, terminou em um impasse: o ataque alemão foi interrompido, mas o Exército Vermelho não conseguiu cercar e destruir o inimigo.

Soldados soviéticos ao lado de tanque nazista Panther destruído pela artilharia da URSS em Prókhorovka

Em Prókhorovka, os alemães usaram seus novos tanques pesados, o Tiger I e o Panther, com a esperança de que eles pudessem ajudar na batalha contra os tanques soviéticos T-34 e KV. Entretanto, as esperanças não se concretizaram, e os novos tanques não se tornaram um fator decisivo na batalha.

Tanque alemão

Pouco depois do confronto em Prókhorovka, as tropas soviéticas lançaram as operações de ofensiva estratégica de Kursk, no norte e no sul. Ambas as operações foram bem sucedidas. No final de agosto de 1943, o Exército Vermelho havia conquistado o território ao longo de uma linha de frente de 1.930 quilômetros.

Reféns nazistas no saliência de Kursk

Como resultado da Batalha de Kursk, os alemães perderam a capacidade de realizar qualquer operação ofensiva estratégica e começaram a retirada, que terminaria em sua completa derrota e rendição incondicional.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique 
aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies