Neste dia: a União Soviética enviava, há 60 anos, um cachorro ao espaço

Laika é o nome russo para várias raças de cães similares ao husky, oriundas da Sibéria

Laika é o nome russo para várias raças de cães similares ao husky, oriundas da Sibéria

RIA Novosti
Há seis décadas, Laika tornava-se o primeiro animal a fazer uma viagem espacial. No entanto, experimento foi breve devido a falhas no sistema.

Laika, uma cadela sem raça definida com três anos, foi o primeiro animal a viajar ao espaço há exatamente 60 anos, em 3 de novembro de 1957. Antes da fama global, no entanto, a cachorra perambulava pelas ruas de Moscou.

À medida que a corrida espacial da Guerra Fria começou, a União Soviética e os Estados Unidos planejavam enviar um ser humano para o espaço, mas pouco se sabia sobre os efeitos de uma viagem espacial nas estruturas biológicas.

Laika serviu, de certo modo, como cobaia para futuros cosmonautas. A cadela foi colocada bordo da nave soviética Sputnik 2 com eletrodos presos ao seu corpo, que monitoravam os efeitos da radiação espacial em seus órgãos.

Porém, a cachorra morreu entre cinco e sete horas após o lançamento, bem antes do esperado. Estresse e superaquecimento, supostamente ocasionado por falha no sistema de controle térmico da nave, teriam causado a morte de Laika.

Outros onze cães foram enviados ao espaço antes de o primeiro ser humano, Iúri Gagárin, viajar para a órbita da Terra, em 1961. Sete desses animais sobreviveram.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Leia mais