Neste dia: nascia o maior cronista da Revolução Russa, John Reed

Antes de partir para a Rússia, Reed já havia coberto a revolução no México e a Primeira Guerra Mundial.

Antes de partir para a Rússia, Reed já havia coberto a revolução no México e a Primeira Guerra Mundial.

Getty Images
Autor de ‘Dez dias que abalaram o mundo’, cujos 130 anos de nascimento se celebram neste domingo (22), está enterrado junto ao muro do Kremlin.

Nascido em 22 de outubro de 1877, John Reed foi envido à Rússia em 1917 pela revista socialista The Masses para cobrir a Revolução Russa. A revista, porém, acabou se recusando a publicar os artigos de Reed.

Mas o socialista Max Eastman, que alimentava simpatia pelos revolucionários, concordou em publicar os artigos em sua revista, The Liberator, vindo a visitar a Rússia em seguida como partidário de Lênin e Stálin.

Antes de partir para a Rússia, Reed já havia coberto a revolução no México e a Primeira Guerra Mundial, ficando famoso por suas reportagens agressivas.

Reed apoiava ativamente a revolução, e chegou a ser testemunha da invasão do Palácio de Inverno.

O escritor morreu cinco dias antes de completar 33, pouco depois de completar sua obra-prima, “Dez dias que abalaram o mundo”. O livro foi louvado por Lênin, que queria vê-lo publicado em milhões de cópias.   

Leia mais aqui.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies