Neste dia: era lançada pedra fundamental da Catedral do Sangue Derramado

Igreja ortodoxa, que hoje é cartão postal da cidade de São Petersburgo, foi erguida no exato local onde imperador russo Alexandre 2º foi morto em atentado.

Alexandre 2º era conhecido como o ‘tsar da libertação’ por ter banido a servidão no Império Russo. Embora tenha sido o único imperador na história russa a sobreviver a cinco tentativas de assassinato, Alexandre não conseguiu escapar do sexto atentado.

Um membro da organização revolucionária “Narodnaya Volya” (Vontade do Povo, em português) jogou uma bomba sob os pés do tsar em 13 de março de 1881, dia em que assinaria uma nova reforma constitucional.

Assassinato do tsar Alexandre 2º

Alexandre 2º faleceu horas depois. Após pouco mais de anos, em 18 de outubro de 1883, a pedra fundamental da futura Catedral do Sangue Derramado foi lançada no exato local do crime.

O projeto da igreja já havia sido encomendado pelo filho e sucessor de Alexandre 2º, Alexandre 3º (pai de Nicolau 2º) desde 1881. Na época, entretanto, foi erguida uma pequena igreja temporária até que, em 1883, o projeto final foi enfim selecionado.

Igreja recebe mais de um milhão de turistas russos e estrangeiros por ano.

A Catedral do Sangue Derramado, ou Igreja da Ressurreição do Salvador sobre o Sangue Derramado, é um dos templos ortodoxos russos mais visitados de São Petersburgo, e fica situada na margem do canal Griboiedov (assim nomeado em homenagem a Alexandre Griboiedov), perto da famosa Nevsky Prospekt.

Durante a Segunda Guerra Mundial e o cerco a cidade, a cúpula mais alta da igreja foi atingida por uma bomba, que não chegou a explodir. Anos depois, quando a cúpula passou por reforma, por causa de goteiras, a bomba foi encontrada e retirada do local. Depois de 27 anos de obras de restauração, o templo foi reinaugurado como museu estatal, onde visitantes podem conhecer a história do assassinato de Alexandre 2º.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies