O piloto russo que roubou o avião de um alemão que acabara de abatê-lo

Soldado alemão pousa junto a Il-2 em aeródromo russo

Soldado alemão pousa junto a Il-2 em aeródromo russo

Bundesarchiv
A história do aviador soviético T. Kuznetsov aparece na nota de rodapé de vários livros sobre o tema, mas jamais foi confirmada oficialmente. Realidade ou lenda?

Em 1942, pouco depois de a Alemanha nazista invadir a União Soviética, o piloto soviético T. Kuznetsov voltava à sua base de uma missão de reconhecimento sobre a Rússia ocupada. Ao sobrevoar Kalinin (atual Tver), foi alvo de uma emboscada por um grupo de caças alemães Messerschmitt 109. Apesar das manobras radicais a bordo de seu Ilyushin Il-2, os disparos do inimigo o obrigaram a fazer um pouso forçado.

Kuznetsov sobreviveu após a colisão – relativamente controlada – do avião. Porém, consciente e temendo que os militares alemães descessem para metralhar a fuselagem, o piloto deixou a cabine e correu para um bosque a poucos metros dali.

Il-2 clicado por aeronave inimiga

Ocasião faz o ladrão

O que aconteceu a seguir, conforme narrado em “Witold Liss Aircraft Profile 88 - Ilyushin Il-2” e no livro “RCAF War Prize Flights, German e Japanese Warbird Survivors”, de Harold Skaarup, parece roteiro de um filme dirigido por Tarantino.

Para a surpresa de Kuznetsov, um dos caças Messerschmitt se aproximou do local do impacto, reduzindo a velocidade. Embora fosse cada vez menos comum, não eram raros os casos em que os pilotos fossem ao local para recolher alguma recordação de seu feito – podia ser um pedaço do avião derrubado, a arma do piloto, ou alguma condecoração. O alemão provaria, assim, que havia eliminado seu inimigo e voltaria às linhas alemãs com um troféu para mostrar a vitória a seus companheiros.

No entanto, Kuznetsov não estava mais na cabine do avião. Ele havia se escondido entre as árvores próximas, à espera da chegada do piloto inimigo. Assim que seu executor chegou perto dos destroços do avião, o piloto soviético correu em disparada para o avião alemão, colocando-se no comando do Messerschmitt. Tudo isso para a total perplexidade do piloto alemão, que o observava, paralisado, à distância.

Messerschmitt Me-109 em voo

Kuznetsov iniciou o motor com pressa, tomou velocidade pela planície russa e ergueu o nariz do avião até os céus, enquanto o alemão, cada vez menor, corria em vão.

Missão: volta para casa

Quando já estava no ar, o protagonista dessa história notou que havia outro perigo: qualquer compatriota ou artilharia antiaérea russa não pensaria que um Me-109 com a cruz negra nas asas pudesse ser pilotado por um tovarisch. Depois de ser abatido por um alemão, agora ele corria o risco de morrer pela mão de seus próprios colegas.

Para a sorte de Kuznetsov, de acordo com as fontes disponíveis, o destino o ajudou a sobreviver a mais essa aventura e foi decorado como Herói da União Soviética.

Mais tarde, em 1944, passou por um novo susto: foi cegado pelo impacto de um ataque antiaéreo ao voar sobre a Polônia. Apesar dos ferimentos, ele teria sido capaz de pousar seu novo Il-2 – mas, dessa vez, não se sabe o que aconteceu com ele depois.

Modelos Il-2 sobrevoando cidade alemã

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Leia mais