10 fotos coloridas da Rússia Imperial; veja

Artistas da época desenvolveram técnica para pintar retratos e atender a demanda dos mais abastados.

Serguêi Livitski/МАММ

Em meados do século 19, só era possível revelar as fotografias em preto e branco, mas nem todo mundo se contentava com o resultado das imagens.

Autor desconhecido/МАММ

Alguns recorriam à técnica de pintura posterior para dar vivacidade às fotos. Mas, como o procedimento era oneroso, apenas os mais ricos podiam se dar a esse luxo.

Autor desconhecido/МАММ/MHP, Fundo I. Ribchinski e E. Gladkov

Os ateliês fotográficos desenvolveram métodos para colorir fotos em preto e branco na segunda metade do século 19 – e o serviço logo entrou em demanda.

Autor desconhecido/МАММ

Era um trabalho para artistas profissionais, que pintavam manualmente as fotos. As imagens coloridas eram, por assim dizer, um misto peculiar de fotografia e pintura.

Autor desconhecido/МАММ

A foto podia ser integral ou parcialmente colorida – como rosto, corpo, chapéus, vestes, decorações de interiores ou plano de fundo, por exemplo.

Ivan Barschevski/Museu de Arte e História Murom

A vantagem dessa técnica era que o cliente podia escolher exatamente a cor que queria que suas roupas fossem – e mesmo as fotos mais sem graça poderiam brilhar.

Autor desconhecido/МАММ

Além disso, se alguém desejasse apagar imperfeições, como cicatrizes ou manchas, os artistas eram capazes de aplicar uma espécie de “filtro de Instagram” manual.

Aleksandr Eichenwald/МАММ

Os russos adoravam as fotografias coloridas. Elas eram tão apreciadas quanto os tradicionais retratos em miniatura amplamente populares no século 19.

Autor desconhecido/МАММ

Com o advento das fotografias coloridas no século 20, a tradição de colorir fotos começou a desaparecer.

Ioussef Brezanov/МАММ

Apesar de algumas pessoas ainda colorirem fotos durante o período soviético, os dias de glória desse método manual já estavam contados.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.