Novo aumento de casos de covid na Rússia levanta debate sobre reintrodução de medidas

Konstantin Kokochkin/Global Look Press
Uso de máscara em locais e transporte público voltou a ser recomendado em algumas cidades russas. Apoio é maior em Moscou do que em São Petersburgo.

O portal SuperJob, um dos principais site de busca de empregos na Rússia, realizou um levantamento sobre a postura dos moradores de cidades do país com mais de um milhão de habitantes em relação à necessidade de reforçar as medidas de saúde contra a covid. Com o país enfrentando uma onda de novas infecções, os resultados do estudo mostram que Moscou e Voronej estão entre as localidades onde os habitantes demonstram maior cautela.

De acordo com o levantamento, obtido pela agência RIA Novosti, nessas duas cidades, 22% dos moradores defendem um reforço das medidas, enquanto em Krasnodar e Rostov-no-Don, no sul da Rússia, essa posição é defendida por apenas 10% dos locais.

Além disso, em Perm (Urais), um quinto dos moradores da cidade acredita que tais medidas seriam relevantes (20%), em comparação com 18% em Omsk (Sibéria), 17% em Samara (Volga) e Iekaterimburgo (também nos Urais), e 16% em São Petersburgo e Níjni Novgorod.

Em Kazan (Tatarstão), Novosibirsk e Krasnoiarsk (Sibéria), somente 13% dos moradores locais concordam em retomar medidas de restrição, um pouco mais do que em Ufá (Bascortostão), onde esta opinião foi compartilhada por apenas 11% dos entrevistados.

Não há dados compilados sobre Volgogrado e Tcheliabinsk – as duas cidades restantes das 16 com mais de um milhão de habitantes na Rússia.

Nas últimas 24 horas, quase 59.000 novos casos positivos foram detectados no país. Diante do novo aumento de infecções, a agência nacional de saúde russa Rospotrebnadzor aconselhou em agosto a volta do uso de máscaras em locais e transporte público em cidades onde o número de novos infectados ultrapasse 50 por 100.000 habitantes por semana.

LEIA TAMBÉM: Como expatriados se realocaram na Rússia durante a pandemia, apesar de todas as restrições

Para ficar por dentro das últimas publicações, inscreva-se em nosso canal no Telegram

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies