Campeã russa de caratê ganha fama após fake news de agressão contra homens

Maria Zotova
Apesar das notícias falsas, Maria Zotova provou que domina as artes marciais – mas para ganhar títulos, e não brigas de rua.

Em dezembro de 2019, a notícia de que a praticante de caratê Maria Zotova foi supostamente levada em custódia, depois de usar força excessiva para afastar dois homens que a perseguiam, causou rebuliço na internet russa.

Um deles teria morrido no hospital.

Uma das razões pelas quais a história provocou protestos públicos foi porque é difícil associar a aparência da garota à violência.

De qualquer modo, o relato acabou sendo fake news.

Ainda assim, o relato falso apenas despertou mais interesse pela jovem atleta: “Charmosa e perigosa garota do caratê” e “Gostosa do karatê” foram apenas algumas das manchetes de admiração, ainda que machistas, dos meios de comunicação.

Maria nasceu em Klin, na região de Moscou, e pratica caratê desde os 10 anos de idade, sob a orientação de seu pai.

Agora, aos 20 anos, já possui o título oficial de Mestre do Esporte, além de ser faixa preta e membro da equipe principal da seleção russa de caratê.

Maria foi convidada a integrar a seleção nacional em 2017, depois de treinadores notarem seu talento no campeonato de caratê da União Estudantil de Esporte Russa.

Em 2018, como membro da seleção feminina, Maria conquistou o bronze no Campeonato Mundial de Caratê de Madri e, em 2019, levou o ouro na categoria individual no Campeonato Nacional Russo de Caratê U21.

A lutadora viaja muito e adora a cidade de Sochi, onde a equipe nacional costuma realizar seus treinamentos. Não é à toa que já possui mais de 37.000 seguidores no Instagram.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies