15 regras não escritas para “ser siberiano”

Reuters
Ser siberiano é uma arte. Caso contrário, como você poderia explicar tudo isso?

1/ Qualquer um pode se tornar um siberiano

Não importa onde você nasceu, qual a cor de sua pele ou que tipo de religião você segue. Se foi para a Sibéria e ficou por lá, você é siberiano. Todo siberiano acredita nisso, porque eles sabem que a vida na Sibéria não é fácil, e certamente não é para todos – para eles, apenas pessoas com garra podem sobreviver e amar a Sibéria. Ao contrário de Moscou, por exemplo, você não consegue ser um “novato permanente”. Os moradores locais esquecerão rapidamente onde você morava antes e o considerarão um deles. Há muita terra e poucas disputas porque, em geral, as pessoas têm muito pouco para brigar.

2/ Não há nada errado em ter um casaco de pele de verdade

Os siberianos não acreditam que um casaco ou chapéu de pele sejam desumanos, ou sintoma de mau gosto de quem veste. Afinal, não encontrará nada mais quente para usar. Quando chega o frio, os dilemas éticos vão para a cucuia.

3/ As crianças podem ter várias férias-surpresa no ano

Quando o tempo está frio até mesmo para os padrões da Sibéria (por exemplo, -35°C), as aulas são suspensas. E isso pode acontecer várias vezes durante o inverno.  Mas as crianças ficam em casa se aquecendo? Claro que não! Todo mundo sai para brincar na neve, descendo montinhos ou jogando bolas de neve. Para muitas dessas crianças, temperaturas extremas são férias escolares surpresa – portanto, momento de felicidade.

4/ Comer pelmêni com khrenovina

Bolinhos de massa (pelmêni) generosamente polvilhados com khrenovina – molho de tomate e rábano picante – são o prato favorito na Sibéria. Sem sombra de dúvidas!

5/ Campeonato de frio

Se você já ouviu uma conversa entre dois siberianos de diferentes partes da região,  descobrirá quem enfrenta o clima pior. Normalmente, aquele cujo termômetro desce mais é o vencedor. Gabar-se de más condições climáticas é algo muito siberiano. Quando as pessoas não têm nada a dizer, sempre dá para conversar sobre o clima.

6/ Pinholes, não sementes de girassol

Você certamente já ouviu falar sobre o vício nacional em comer sementes de girassol? Elas conquistaram os russos há muito e tornam todos iguais: as pessoas da cidade e do campo têm uma dependência semelhante – exceto os siberianos. Desde a infância, eles consomem pinholes em vez de sementes de girassol. E todo siberiano sabe melhor do que ninguém como dividi-los em duas metades perfeitamente uniformes.

7/ Pavor de mosquitos

O que você sabe sobre dor?

Não há nada pior na Sibéria do que mosquitos muruim – pequenos insetos que “devoram” pessoas vivas assim que elas tiram a roupa no verão. Três segundos na companhia desses mosquitos siberianos, e litros de sangue podem facilmente desaparecer sem deixar vestígio.

8/ “A Sibéria é o meu país”

Estar longe da Rússia Central (ou seja, de Moscou) deixou sua marca. Os siberianos acreditam que têm uma mentalidade diferente comparado com pessoas de outras regiões da Rússia. E eles raramente se aventuram fora de sua Sibéria – porque é caro. E quando o fazem, mal conseguem acreditar que continuam ouvindo o mesmo idioma russo.

9/ Todo mundo tem medo de você (exceto mosquitos)

Durante a Segunda Guerra Mundial, as divisões siberianas tinham uma reputação especial: acreditava-se que eram as mais cabeludas. E essa reputação ainda persiste. Os siberianos acreditam que são os mais durões de toda a Rússia.

10/ Discrição é a melhor forma de defesa

Inconscientemente, muitos siberianos nativos ainda se lembram dos campos de prisioneiros soviéticos e da servidão penal tsarista; muitos preferem viver de acordo com o princípio “manter um perfil discreto”. Na verdade, os siberianos ficam até satisfeitos com o fato de as principais autoridades do país estarem tão distantes – há menos risco de se meter em problemas com alguém. As grandes notícias sobre a Sibéria raramente chegam à capital, porque a Sibéria raramente tem grandes notícias.

11/ As fronteiras da Sibéria são uma incógnita

A Sibéria compreende um território muito grande, e suas fronteiras geográficas são o segundo assunto principal (depois do clima, é claro) em todos os fóruns da internet que possuem mais de um siberiano entre seus usuários. Omsk faz parte da verdadeira Sibéria? E o que dizer de todos aqueles que vivem à beira do rio Ob – são siberianos? Todo mundo que NÃO mora na Sibéria tem a resposta na ponta da língua (“sim” para ambas as perguntas), mas parece que os locais nunca concordarão nesses assuntos.

12/ Relacionamento especial com a natureza

Os siberianos têm uma atitude especial em relação à natureza, mesmo porque a natureza é o aspecto mais bonito e valioso da região. Embora a maioria das cidades da Sibéria não seja notável – predominantemente cinzas e com produção industrial intensa –, a natureza na Sibéria compensa tudo. Se um siberiano se muda para um lugar mais perto de Moscou, é a nostalgia da natureza que provavelmente o atrairá de volta.

13/ Verdadeira adoração por estereótipos

Um enorme espaço em branco no mapa? Ursos na rua e nos apartamentos das pessoas (em vez de gatos)? Se você é siberiano, ama esses mitos malucos. E provavelmente nem tentará negá-los. Ao ouvir alguém contar mais uma fábula sobre a vida na Sibéria, é provável que tente fazê-la parecer ainda mais ridícula – assim que funciona na região.

14/ Sempre enxergar o lado positivo da vida

Na Sibéria, até os gatos dormem sob edredom no inverno. A menos que você aprenda a ver o lado positivo da vida na Sibéria, poderá sofrer de depressão e jamais se recuperar. Por isso, procure o lado positivo das coisas. Por exemplo, ao levar para casa a cerveja que comprou em um mercado, terá tempo suficiente para gelar no caminho antes de bebe-la.

15/ Proteger o lago Baikal é uma obrigação

Para os siberianos, o Baikal não é apenas o lago mais profundo do planeta, com as maiores reservas de água doce – é também a coisa mais próxima e valiosa de um morador da Sibéria. Dizem que quando alguém que se mudou recentemente para a Sibéria começa a defender o Baikal, automaticamente se torna um siberiano. Aliás, os siberianos chamam o Baikal de mar, provavelmente para compensar o fato de não ter um mar nos arredores.

LEIA TAMBÉM: Como os russos constroem cidades sobre solo congelado

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies