Tesouro que remonta ao fim do Império Russo é encontrado em Moscou

www.mos.ru
Moedas foram encontradas entre pilha de tijolos quebrados. Segundo especialistas, seriam economias antigas guardadas dentro de parede.

Uma grande quantidade de moedas de cobre e prata que remontam ao fim do Império Russo foi descoberta nos últimos dias durante trabalhos de escavação em uma área ao norte de Moscou. A notícia foi publicada no site da Prefeitura.

Encontrado entre um monte de tijolos quebrados, o tesouro, de acordo com especialistas, teria sido supostamente escondido pelo antigo dono dentro da parede, com a intenção de manter suas economias seguras.

O achado compreende 97 moedas, com um valor total de 35 rublos e 50 copeques –  uma quantidade considerável para a época.

“Trata-se de uma quantia bastante alta para aquele período, equivalente ao salário mensal de um trabalhador qualificado na capital”, diz Aleksêi Emelianov, diretor do Departamento de Patrimônio Cultural da cidade.

“Para se ter uma ideia, na época, um pão custava entre 4 e 7 copeques; 1 litro de leite, cerca de 14 copeques; com 5 rublos era possível comprar um par de sapatos; 100 rublos eram suficientes para construir uma casa de madeira”, continua.

LEIA TAMBÉM: Como o rublo se tornou a moeda nacional russa 

Segundo os especialistas, é provável que essas moedas estivessem dentro de um saco de pano, que o tempo teria reduzido a pó. Além disso, eles acreditam que a descoberta traz de volta do passado um período sombrio na história do país.

“Esta descoberta atesta a crise financeira que assolou a Rússia durante a Primeira Guerra Mundial. No final de 1915, as cédulas começaram a perder valor e, por essa razão, aqueles que poupavam tentaram, de todas as maneiras, manter e esconder suas moedas de metal”, afirma Emelianov.

Após a restauração, as moedas serão confiadas ao Museu de Moscou.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies