Como Danny Trejo, o brutal Machete, começou sua carreira graças a um diretor soviético

Robert Rodriguez/20th Century Fox, 2013
O rosto mais assustador de Hollywood esbarrou por acidente em um cineasta dissidente – e assim começou a atuar. Hoje, tanto ele como o diretor em questão, Andrêi Kontchalovski, são nomes de peso na cena internacional.

Viciado em drogas em reabilitação e recém-saído da prisão em liberdade condicional, Danny Trejo estava lutando para pagar suas contas. Seu único ofício, além do envolvimento com drogas, era o boxe: ele havia reivindicado com sucesso os títulos de campeão peso leve e meio-médio na Penitenciária Estadual de San Quentin , na Califórnia, onde cumpria sua pena.

Libertado da prisão, Trejo apelou para seu antigo companheiro de cela que então trabalhava para um diretor de cinema russo.

320 dólares por dia

“Ele me perguntou se eu ainda lutava boxe. ‘Precisamos de alguém para treinar um dos atores’”, lembrou Trejo, muitos anos depois do diálogo que mudou sua vida e abriu caminho para o sucesso em Hollywood. Sem ter noção disso, Trejo mudou radicalmente o rumo de sua vida quando concordou em treinar um ator para uma curta cena de boxe.  

Andrêi Kontchalovski (à esquerda) e Denny Trejo (à dir.)

O diretor russo ofereceu ao boxeador desconhecido e com passado sombrio um surpreendente salário de US$ 320 por dia. “E eu disse: ‘Quanto você quer que esse cara apanhe?’”, recordou Trejo. “Ele disse que eu devia tomar cuidado, e eu respondi que, por 320 dólares ao dia, eu poderia ter muito cuidado.”

LEIA TAMBÉM: Surpresa na Rússia: como Depardieu enfim encontrou uma ‘vida pacífica’

O homem que recebeu aulas de boxe do futuro Machete foi Eric Roberts, ator que mais tarde seria indicado ao Oscar por seu papel no filme. O diretor era Andrêi Kontchalovski, um cineasta soviético que havia ido aos EUA para “quebrar a corrente que as autoridades soviéticas colocaram nele”, segundo o próprio.

Kontchalovski, porém, gostou da aparência de Trejo e do estilo de boxe – e deu a ele um papel pequeno em seu filme – “Expresso para o Inferno”. No vídeo a seguir, é possível ver a futura celebridade norte-americana-mexicana em uma cena conduzida pelo diretor soviético em busca de salvação em Hollywood.

Machete na Rússia 

Desde então, Trejo estrelou centenas de filmes, inclusive como protagonista na obra-prima do cinema trash de Robert Rodriguez, “Machete”. Ele acabou se tornando um dos rostos mais reconhecidos – e temidos – de Hollywood, mas nunca se esqueceu da estranha ligação com a Rússia que o conduziu ao sucesso internacional.

LEIA TAMBÉM Surpresa na Rússia: visita de Johnny Depp a Mausoléu de Lênin e túmulo de Stálin divide opiniões

Trejo esteve na Rússia em várias ocasiões; a mais recente delas foi em outubro de 2018, quando participou do festival Comin Con.

Antes disso, Trejo foi a grande atração de um popular programa russo, chamado “Vecherny Urgant”, por duas vezes.

Naturalmente, também deu as caras na Praça Vermelha, em Moscou.

Por mais brutal que pareça na foto, Trejo mantém sentimentos calorosos em relação à Rússia e ao homem que primeiro apresentou o país a ele.

“Eu não estava no sindicato, não era ator [...] Andrêi disse ‘coloque ele no sindicato’, e foi isso. Minha vida mudou”, disse Trejo.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Então assine nossa newsletter semanal ou diária.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies