Mais de 70% dos russos defendem proibição de celulares em salas de aula, mostra pesquisa

Artur Lébedev/TASS
Grande maioria acredita que dispositivos afetam desempenho acadêmico.

Cerca de 73% dos russos acreditam que os telefones celulares e outros dispositivos móveis deveriam ser proibidos em salas de aula, de acordo com os resultados de uma pesquisa conduzida pelo Centro Russo de Pesquisa de Opinião Pública (VTsIOM).

A esmagadora maioria dos russos, 83%, acredita que smartphones e celulares impedem os jovens de estudar, e 69% dos entrevistados acreditam que, se a limitação mencionada entrar em vigor, as crianças terão melhores resultados acadêmicos.

Segundo os dados da pesquisa, essa iniciativa conta com o apoio dos pais (73%), mas também de pessoas que não têm filhos em idade escolar (74%).

Os pais de crianças que não possuem telefones celulares são particularmente defensores da iniciativa de bani-los nas escolas (81%).

Ainda de acordo com o levantamento, apenas 17% dos russos estão convencidos de que esse tipo de medida não terá efeito sobre o desempenho acadêmico das crianças.

Conheça 6 diferenças entre escolas russas e estrangeiras.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Então assine nossa newsletter semanal ou diária.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies