Russos acordam de luto após incêndio em Kemerovo; 64 pessoas morreram

Pessoas depositam flores em homenagem às vítimas de incêndio em Kemerovo

Pessoas depositam flores em homenagem às vítimas de incêndio em Kemerovo

AP
Diversas pessoas, incluindo crianças, e animais foram mortos no incêndio que tomou um shopping center na cidade siberiana de Kemerovo neste domingo (25). Embora causas da tragédia ainda não tenham sido esclarecidas, população culpa autoridades locais por não fornecerem segurança contra incêndio no edifício em questão.

A cidade industrial de Kemerovo, na Sibéria (3.600 km a leste de Moscou), foi parar nos noticiários internacionais no domingo (25), após o shopping center de quatro andares ‘Zimnyaa Visnnyal’ (Cereja de Inverno, em tradução) ser tomado por um incêndio. A tragédia matou, ao menos, 64 pessoas, incluindo 41 crianças, e 200 animais.

Investigações preliminares apontam que o fogo teria começado na área destinada a crianças perto do cinema. Segundo testemunhas, o alarme de incêndio falhou, o que deixou inúmeras pessoas presas dentro do prédio em chamas.

Fumaça de incêndio cobriu o céu sobre shopping center em Kemerovo

Até as 14h00 desta segunda-feira (horário de Moscou; 08h00 no horário de Brasília), o shopping ainda estava parcialmente em chamas, e 230 bombeiros seguiam trabalhando para apagar o incêndio, que já durava mais de 24 horas. O Ministério para Situações de Emergência russo relatou a morte de 64 pessoas, incluindo crianças; várias turmas visitavam o shopping para celebrar o início da primavera russa. Cerca de 200 animais que estavam em um zoológico no terceiro andar também morreram.

Corrupção pode ter causado tragédia

Ainda não está claro o que causou o incidente em Kemerovo no domingo. Há boatos de que uma criança teria acidentalmente iniciado o incêndio, mas falhas na fiação elétrica também não foram descartadas. Independentemente disso, várias testemunhas relataram que nenhuma ajuda chegou imediatamente após o início das labaredas. “Nenhum alarme de incêndio, nada. Até as portas de evacuação no primeiro andar estavam fechadas. Eu ainda não entendi como conseguimos escapar da armadilha do incêndio”, disse Dmítri Khorochavtsev, que estava dentro do prédio, à KP.

Grupo de bombeiros em operação no shopping incendiado

O deputado regional russo Anton Gorelkin confirmou, em sua página no Facebook, que os sistemas de alarme e combate a incêndios do edifício falharam por completo. “Quando o fogo começou, não havia sequer um extintor por perto. Um extintor no lugar certo poderia ter evitado tudo isso”, escreveu Gorelkin na rede social.

Segundo o parlamentar, os sistemas de segurança do shopping apresentavam “problemas óbvios”, e o alvará concedido por autoridades locais permitindo que o estabelecimento estivesse aberto ao público pode apontar para corrupção.

“Temos mais alguns shoppings em Kemerovo construídos exatamente da mesma maneira: plástico barato, labirintos de corredores e documentos duvidosos. Todos eles devem ser checados e, se houver alguma pequena violação, que sejam fechados. Não há dinheiro de corrupção que valha a vida de crianças”, continuou Gorelkin.

O vice-governador da região de Kemerovo, Vladimir Tchernov, declarou que “as autoridades têm muitas perguntas a fazer para os proprietários do shopping”.

Nesta segunda-feira (26), oficiais do Comitê de Investigação Russa afirmaram que o alarme de incêndio foi desligado por um dos guardas após o incêndio ter começado. 

Reação nas ruas e na rede

Homem em desespero durante incêndio neste domingo (25)

O governo de Kemerovo declarou três dias de luto nesta segunda. Paralelamente, russos e pessoas de todo o mundo têm expressado choque e prestado condolências.

“Domingo em uma cidade grande, um shopping center onde as crianças brincam – isso tudo é tão reconhecível, tão perto [da realidade] de todos... Estou chorando e abraçando meus filhos”, escreveu a crítica literária Galina Iuzefovitch no Facebook.

“Meus pêsames. As chamadas de crianças presas dentro, dizendo adeus aos entes mais próximos e queridos, são absolutamente dolorosas ”, escreveu Maria Zakhárova, a porta-voz oficial do Ministério para Negócios Estrangeiros russo. “Todos os responsáveis ​​por isso, pela segurança contra incêndios, pela segurança das crianças, devem ser encontrados e indiciados. Esta é uma lição difícil para todos nós”.

Em sua conta no Twitter, o jornalista Vassíli Konov, também pediu punição a todos “aqueles que tiveram algo a ver com saídas de evacuação bloqueadas”.

Flores, velas e brinquedos são deixados do lado de fora do shopping ‘Zimnyaya Vishnya’, onde, pelo menos, 64 pessoas morreram em incêndio

A maioria dos comentários culpa as autoridades locais por “incompetência” e por “não reagirem” ao caso. O governador local Aman Tuleiev sequer visitou a cena do incêndio, gerando indignação.

Tuleiev, no entanto, declarou também ter pedido um parente próximo no episódio (uma garota de 11 anos) e chamou a situação de “tristeza comum”.

Em Moscou, vários locais estão depositando flores e brinquedos em frente ao escritório da região de Kemerovo. Na cidade siberiana, por sua vez, havia longas filas nos postos de doação de sangue; na manhã desta segunda, após duas horas de atendimento, os médicos afirmaram que já havia sido coletado sangue suficiente para abastecer os bancos da região.

Se você quiser fazer uma doação aos sobreviventes e às pessoas que perderam familiares nesta tragédia, há um formulário para doação na página da Sociedade da Cruz Vermelha Russa (regional de Kemerovo).

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies