Da modelo mais alta ao ravióli mais longo, russos têm recordes improváveis

É difícil encontrar jeans que se encaixem perfeitamente no corpo quando você é a modelo fotográfica mais alta do mundo, como Ekaterina Lisina, de Penza, na Rússia.

É difícil encontrar jeans que se encaixem perfeitamente no corpo quando você é a modelo fotográfica mais alta do mundo, como Ekaterina Lisina, de Penza, na Rússia.

Anna Arzamastseva/Barcroft Media/Getty Images
Entre realizações impressionantes e coisas que são simplesmente bizarras, o Livro Guinness dos Recordes tem de tudo. E, ao longo dos anos, muitos russos encontraram a glória em suas páginas.

Caso você esteja se perguntando onde vive a modelo fotográfica mais alta do mundo, não se engane: ela está na Rússia. Ekaterina Lisina costumava jogar basquete profissional. Com 2,05 metros de altura, ela entrou oficialmente no Livro Guinness dos Recordes em setembro de 2017.

Além de ser a modelo profissional mais alta do mundo, Lisina foi oficialmente declarada também a que tem as pernas mais longas, com 1,32 metros de comprimento.

Após o fim de sua carreira no basquete, Lisina (que, não é de surpreender, jogava como central)  passou para o mundo da moda. A julgar por suas entrevistas, ela leva uma vida feliz e a única coisa sobre a qual ela deve se queixar é a dificuldade de encontrar roupas e sapatos que sirvam no seu corpão – literalmente!.

“Procurando botas de inverno, encontrei um único par em toda Moscou. Isso é muito pouco”, disse Lisina ao canal 5 da Rússia. Fora isso, ela parece estar feliz com a altura e a carreira.

Lisina pode desfrutar o Livro Guinness na grande companhia de compatriotas. Como qualquer outro país, a Rússia estabeleceu todo tipo de recordes. Alguns impressionam, enquanto outros simplesmente parecem muito estranhos.

Parafusos aéreos e um ônibus movido a dentes

Em novembro de 2017, a comissão do Guinness confirmou que Leonid Kulech, um piloto de Chita (6.200 km a leste de Moscou), havia estabelecido um recorde mundial em 2014, realizando 100 parafusos com um pequeno avião Dragonfly sobre sua cidade.

A filmagem ao vivo de Kulech executando esta façanha é um pouco assustadora, com um avião de aspecto frágil girando em alta velocidade.

O piloto, que trabalha como escultor e executa rotinas aéreas apenas como hobby, ama o céu.

"É ótimo lá em cima. Não há problemas terrenos, apenas leis de gravidade aerodinâmica", disse ao jornal Kommersant.

Mas outro russo, Igor Zaripov, fez algo ainda mais impressionante. Em janeiro de 2015, ele puxou um ônibus de 5 metros e 13,7 toneladas apenas com os dentes e, assim, estabeleceu um novo recorde mundial.

Por outro lado, Zaripov tem uma vasta experiência com tais performances, já que ele trabalha como ginasta aéreo no Cirque du Soleil.

Não importa a idade

Às vezes, os russos realmente superam o envelhecimento. David Barulia, por exemplo,  foi oficialmente registrado em 27 de fevereiro de 2017 como o advogado com a mais longa prática na história: 70 anos e 306 dias.

Vários meses depois, Barulia morreu, aos 106. Mas ninguém pode dizer que ele não tenha aproveitado a vida.

Nascido antes da revolução de outubro de 1917, ele lutou na Segunda Guerra Mundial, participou da captura de Berlim e depois trabalhou com sucesso como advogado, chegando a ganhar uma causa já aos 104 anos.

Angela Vorobiova, que acaba de estabelecer um novo recorde mundial, próxima às placas de Uhuru Peak (o ponto mais alto do Kilimanjaro).

Enquanto isso, Angela Vorobiova, professora aposentada, leva uma vida que é ativa, mesmo comparada com a da maioria dos jovens.

Em outubro de 2015, quando tinha 86 anos (ela nasceu em 1929), escalou o Monte Kilimanjaro, o pico mais alto da África (5.895 metros), estabelecendo assim um recorde mundial.

"Dançamos um tango com nosso guia a 4.000 metros", disse Vorobiova em entrevista. E tem gente que não consegue nem levantar do sofá para procurar o controle remoto!

Quantos russos cabem em um Toyota?

Estudantes da equipe da Universidade Federal Siberiana se espremem dentro de carro durante uma tentativa para o Livro Guinness dos Recordes. A julgar por seus rostos, eles estão transbordando de felicidade!

A resposta é 41, e este é mais um recorde oficial russo no Guinness: "a maior quantidade de pessoas abarrotadas em um carro grande".

Na verdade, essas pessoas eram estudantes de Krasnoiarsk (4.100 km a leste de Moscou) e, de alguma forma, elas se encaixaram em um Toyota RAV4 com as portas fechadas (presumivelmente, não por muito tempo).

Além do sentimento de orgulho, cada um dos alunos que se contorceu no carro levou para casa 4.000 rublos (R$ 210).

Cozinha maluca

Se você está começando a achar que esses caras do Guinness estão prontos para registrar qualquer recorde, não importa o quão bizarro... acertou!

Em fevereiro de 2017, por exemplo, a JSC MAKFA, uma fabricante russa de massas, farinha e grãos, entrou para a história (por vários anos pelo menos), preparando a maior porção de panquecas.

Pegue 16 cozinheiros, cerca de 8 horas de trabalho, e você terminará com 12.716 panquecas. Mas não se preocupe: moscovitas famintos comeram todas elas, sem desperdiçar nenhuma.

No caso acima, fica mais ou menos claro o por que eles cozinharam tantas panquecas, já que acontecia a Máslenitsa, um feriado popular associado ao prato.

Mas em agosto de 2013, sem motivo especial, representantes da Amway Rússia prepararam o ravióli mais longos do mundo.

Ele tinha 29,28 metros de comprimento e foi recheado com frango e cebola. Jack Brockbank, representante oficial do Livro Guinness dos Records, disse que ficou impressionado com o como as pessoas perseguem ardentemente mesmo as vitórias mais estranhas. Evidentemente, isso é verdade até quando se trata de ravióli.

 

Gostou? Então leia “Russos fazendo russices: nação dominou (de novo) os vídeos amadores em 2017!”.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies