Fotógrafo que incendiou casas abandonadas para projeto artístico pode ser preso

Foto que integra o projeto "Prática", de Tkachenko

Foto que integra o projeto "Prática", de Tkachenko

Alexander Alpatkin/TASS
Ideia de Danila Tkatchenko era explorar a extinção das aldeias russas. Para ONG, episódio abre precedente perigoso de destruição “sob o pretexto da arte”.

O fotógrafo russo Danila Tkatchenko, que buscava edifícios abandonados e depois incendiava-os para realizar o projeto “Pátria”, pode receber uma pena de três anos de prisão por depredação de patrimônio público.

Segundo o fotógrafo, antes de destruí-los, no meio da noite, ele verificava se os imóveis realmente não pertenciam a alguém.

“Sempre há uma pista e dá para distinguir se alguém usa [o imóvel encontrado] ou não. Não botei fogo em casas onde pessoas pudessem viver – apenas nas depredadas, sem telhado. Eu não prejudiquei ninguém”, justifica Tkatchenko.

No entanto, Anna Tukaeva, diretora da Krokino, entidade que trabalha para proteger edifícios antigos na Rússia, afirma que “mesmo que fossem abandonados, esses edifícios pertencem à Agência Federal de Gestão de Propriedades do Estado”.

“Esse é um precedente perigoso – sob o pretexto da arte, alguém está prejudicando o patrimônio cultural e os edifícios”, diz Tukaeva.

A ação contra Tkatchenko deve, porém, partir do Ministério da Cultura da Rússia.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.