Imagem de jogo publicada como prova de que EUA apoiam EI gera polêmica (e memes!)

Em 14 de novembro, o Ministério da Defesa da Rússia compartilhou uma imagem de um jogo de computador afirmando que ela provaria que os EUA estavam amparando o Estado Islâmico no Oriente Médio.

Em 14 de novembro, o Ministério da Defesa da Rússia compartilhou uma imagem de um jogo de computador afirmando que ela provaria que os EUA estavam amparando o Estado Islâmico no Oriente Médio.

AFP
Enquanto internautas criam dezenas de memes zombando do assunto, governo russo inicia investigação interna contra “funcionário civil que publicou imagens de jogo de computador como evidência irrefutável de que o exército dos EUA estariam escoltando um comboio do Estado Islâmico”.

Na terça-feira (14), um funcionário civil do Ministério da Defesa da Rússia anexou um screenshot do jogo de computador “AC-130 Gunship Simulator: Special Ops Squadron” em uma publicação sobre a operação russa na Síria.

A imagem mostra uma cena de ficção em que as forças norte-americanas escoltam um comboio do EI (Estado Islâmico).

Para o terror do ministério russo, porém, a imagem não foi deletada entes de os internautas a encontrarem e lançarem uma enxurrada de piadas:

1. “Imagens de satélite fornecidas por @mod_russia provando o apoio norte-americano ao EI próximo à cidade de Deir ez-Zor, na Síria”

2. “Evidência irrefutável do exército Bashkir usando cavalos geneticamente modificados”

3. “Fotos chocantes! Prova do uso de armas secretas pelos Estados Unidos contra os rebeldes sírios”

4. “O Ministério da Defesa da Rússia reportou a eliminação completa de piratas somalianos”

5. “Fotos exclusivas dos EUA apoiando o EI na Síria”

6. “Prova irrefutável dos EUA usando bombas de fragmentação na Síria”

7. “Evidência irrefutável de comandantes do EI fugindo pelas montanhas com ajuda de tecnologia norte-americana”

Em um relatório compilado pelo Ministério da Defesa, porém, o Kremlin relevou a gravidade do erro relativo ao material de videogame.

“Não é nada sério. Erros acontecem, e eles são corrigidos a seu tempo, como foi feito pelo Ministério da Defesa. Eu não aumentaria o significado desse erro”, disse o porta-voz do presidente russo, Dmítri Peskov, ao comentar a situação acerca das publicações errôneas da pasta. 

“No Ministério da Defesa, dissemos que a pessoa culpada por este erro foi punida de maneira apropriada”, completou.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies